João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Elas podem mais

Comentários:
publicado em 22/09/2011 às 12h32

A mente cansada pelo agitado batente quase deixava passar despercebido a relevância da coincidência que fez a data de ontem um capítulo histórico da política brasileira. Ainda bem que ando bem acompanhado e o senso jornalístico do colega e editor do Portal MaisPB, Luis Alberto Guedes, salvou-me da curta visão.

A nossa presidente entrou para os anais da história ao se tornar a primeira mulher a abrir uma Assembléia Geral das Nações Unidas. E Dilma fez bonito. Buscou nas palavras femininas coragem e sinceridade o toque da mulher para chamar atenção do planeta às crises econômicas que marginalizam famílias e dividir com as outras nações o que o Brasil tem feito para devolver dignidade aos excluídos.

No mesmo dia em que a chefe da nossa nação discursava para o mundo, a Câmara Federal elegia a primeira conselheira do Tribunal de Contas da União, indicada pelo Legislativo. Com votos de deputados e deputadas, a pernambucana Ana Arraes quebrou mais um tabu nesse país de espaços dominados pelo gênero masculino.

As sagas de Dilma e Ana devem encorajar as paraibanas que já estão na trincheira pública por dias melhores a ampliar espaços e se impor como alternativa concreta não só de poder, mas essencialmente de nova visão política e humana.

A conquista de Ana no TCU e o brado de Dilma no epicentro político mundial precisam soar como estímulo também às paraibanas anônimas a não capitular diante da aparente intransponível barreira que separa o fracasso da superação pelo mérito da luta.

TCU e simbologia
Tudo bem que o nosso candidato não inspirava muita expectativa, mas a pífia (33) votação de Damião Feliciano (PDT) revela o atual patamar da Paraíba.

Fragmentação – Não conseguimos sequer unir os 12 deputados federais em torno de Damião. Ou por falta de habilidade do próprio deputado ou por mera falta de solidariedade.

Agenda de Rômulo no Planalto Central
O governador em exercício Rômulo Gouveia tratou ontem, em Brasília, com o interino da Fazenda, Nelson Barbosa, da autorização da Receita Federal para implantação do Porto Seco de Campina. O Governo já desapropriou a área, montou a matriz energética e aguarda só o trâmite na Receita para iniciar o processo licitatório.

Combate à praga da cochonilha
Pela manhã, no Ministério da Agricultura, Rômulo, em nome dos agricultores paraibanos, pediu ajuda para o combate da praga da cochonilha do carmim, que tem assolado a cultura da palma, bastante difundida no Cariri paraibano.

Nova saúde sem novo imposto
À tarde, Gouveia participou na residência oficial do presidente da Câmara, Marcos Maia, da reunião dos governadores para discussão da emenda 29 (Saúde). Defendeu uma equação delicada: fortalecer a saúde pública sem criar novo imposto.

Trauma dos estágios
Rosângela Guimarães, diretora de Ações Estratégicas do Trauma, refuta informações de que a unidade tem privilegiado estagiários da rede privada de ensino.

Responsabilidade
Os 400 alunos, de 16 cursos e 14 faculdades são monitorados por supervisores credenciados pelas universidades e não por profissionais do Hospital.

Acúmulo
“Com a demanda, profissionais da unidade não podem dividir carga horária de trabalho com atenção aos estagiários”, explica Rosângela Guimarães.

Enrolado
Agora testemunhas que estavam no carro de Eduardo Paredes afirmam ter sido ele o autor do acidente que matou uma mulher de 50 anos, em Mangabeira.

Investimento
A orla do Cabo Branco vai ganhar dois novos hotéis de alto nível em breve. Os empreendimentos serão tocados por empresários da Paraíba.

Coincidência 
No jardim girassol houve quem lembrasse: um dos promotores (Rodrigo Pires), da Ação do Cuiá, é sobrinho do deputado e prefeitável Luciano Cartaxo (PT).

Zorra total  –
A CCJ, de Janduhy Carneiro (PPS), solicitou mais uma audiência pública. Depois, o presidente trocou o nome do relator, que sem ser relator pediu vistas.

Politicagem
O “quase” presidente da Comissão, Adriano Galdino (PSB), atestou o golpe. “O que está havendo na verdade é uma manobra para politizar a CCJ”.

Passando a bola
O procurador Cecílio Ramalho jura que não repassou o parecer da CPI dos Oudoors a Gilvan Freire. Culpou o ‘faro’ do perspicaz e atilado ex-deputado.

Servidão 
“Ele chegou ao extremo para agradar ao governador”. Do deputado Aníbal Marcolino, detonado por Tião Gomes, da presidência do PSL de João Pessoa.

PINGO QUENTE“Tem vereador que não vai comer o peru de Natal do Paço”. Do vereador Fernando Milanez (PMDB) prevendo adesão de governistas à ceia da bancada de Oposição, mesmo esta dispondo de banquetes bem mais modestos.
 

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também