João Pessoa, 26 de julho de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Demagogia

Comentários:
publicado em 29/09/2011 às 08h17
A- A+

Antes de se embasar na concepção do douto procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, para quem a terceirização dos serviços públicos de saúde é ilegal, ilícita e imoral, os deputados da Oposição deveriam brecar um pouco para não cuspir no prato que o Governo passado preparou, mas não comeu talvez por motivos indigestos.

Não é possível que quem compôs e sustentou a gestão passada ignore completamente que esse processo foi iniciado pelas mãos do doutor José Maria de França, obviamente com o aval, endosso e apoio do então governador José Maranhão.

A única diferença entre a pactuação de agora e a que projetava o outro governo reside na organização escolhida à época pelo Maranhão III, o Instituto de Responsabilidade Social Sírio Libanês, responsável pela bem sucedida administração de dezenas hospitais públicos do município de São Paulo.

Graças à parceria da Prefeitura paulistana com o Sírio Libanês, o Hospital Infantil Menino Jesus, por exemplo, teve a capacidade de atendimento dobrada e toda estrutura renovada. Pelas palavras de Zé Maria, era esse mesmo Instituto que iria gerenciar alguns hospitais paraibanos, se Maranhão tivesse sido reeleito.

A Oposição de hoje, governo de ontem, tem todo o direito de levantar suspeitas sobre a idoneidade da Cruz Vermelha e de seus dirigentes na Paraíba e até de exigir uma seleção mais rigorosa de outra Organização Social para o Trauma. Só não tem condição de fazer um debate ideológico sobre esse tema. Se o faz, age com continental hipocrisia.

Último a saber
Apesar de ter sido um vice entrosado, o deputado Luciano Cartaxo (PT) jura que, à época, não soube dos planos de Maranhão e Zé Maria pela terceirização.

O indomável
Voto pela reprovação da MP do Trauma, o deputado Janduhy Carneiro avisou ao Governo: “Não vou votar cegamente, só balançando a cabeça”.

Cada um no seu quadrado
A posição de Janduhy e as declarações de ontem foram a gota d’água para o incontornável rompimento. Conhecido pelo excessivo comedimento, o líder do Governo, Hervázio Bezerra, não teve mais como segurar a onda. “Tenho razões de sobra para entender que Janduhy fez uma opção pessoal. Pela Oposição”.

Orçamento abriga sugestões populares
Os deputados terão tempo de sobra para analisar a proposta orçamentária para o exercício 2012, que desembarcou ontem na Assembléia. O projeto contempla quase metade das sugestões debatidas pela população no Orçamento Democrático.

PSD e a conjuntura local
Oficialmente presidente do homologado PSD, o vice-governador Rômulo Gouveia vai precisar de seu inesgotável jogo de cintura para conciliar a ampliação do partido com a relação com Ricardo. Mas já avisou desinteresse em filiar adversários do Governo.

Raio-X
Depois do deputado Tião Gomes (PSL), agora Anísio Maia (PT) também defende a instalação de uma CPI para radiografar o Hospital de Trauma.

Caso das ambulâncias
O deputado Adriano Galdino (PSB). “De politicagem o governo passado entendia bem. Pocinhos não recebeu porque eu não me curvei a Maranhão”.

Medo de quê?
O presidente da OAB, na Paraíba, Odon Bezerra, condenou o lobby da magistratura para solapar o poder de investigação do CNJ. “É um retrocesso”.

Proteção
O presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da 13ª Região, Adriano Mesquita Dantas, defende mais segurança para os juízes na Paraíba.

Vai recorrer
Notificado da decisão da juíza Lúcia Ramalho, o presidente da Câmara, Durval Ferreira, manteve a ponderação. “Vamos cumprir e acionar nossa assessoria”.

Partilha
O senador Wilson Santiago (PMDB) peitou o paraibano Lindberg Farias (PT-RJ) em aparte no debate dos royalties e acusou os cariocas de radicalização.

Luz vermelha
Os ex-vereadores Fuba, Padre Adelino e Nadja Palitot, com filiações engatilhadas ao PT de João Pessoa, receberam alerta do vice-presidente Jackson Macedo.

Topam tudo?
“São bem-vindos. Espero que eles saibam que o PT tanto pode ter candidato como apoiar Agra. Eles terão que seguir uma ou outra decisão”, avisou.

Plugado
Depois do programa virtual “Papo com o Prefeito”, Luciano Agra (PSB) tomou gosto e anda estudando mais a fundo as ferramentas das redes sociais.

Paz e amor
Com passaporte carimbado para a Delegacia da Agricultura, Giucélia Figueiredo (PT) quer ser parceira do Governo. “Meu trabalho será apartidário”.

PINGO QUENTE “Acordei cedo, mas cochilei na hora da abertura”. Do vereador Sales Dantas (PR), justificando ausência na sessão declaratória de ontem na Câmara de João Pessoa, apesar de ter batido ponto e despachado no gabinete.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também