João Pessoa, 28 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 01:09 - 0.4 | 07:34 - 2.4 | 13:49 - 0.4 | 20:04 - 2.2 Dólar 3,30 - Euro 3,75

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

O Bellini que eu não conhecia

Comentários:
publicado em 15/04/2013 às 08h38
A- A+

 Pessoas do meu tempo, diante do (sobre)nome Bellini, logo se lembram do grande futebolista brasileiro (totalmente desconhecido como
Hilderaldo) que, como capitão de nossa seleção de 1958, levantou, na Suécia, a Taça Jules Rimet correspondente ao primeiro título do Brasil
como campeão mundial de futebol.

Mas, o Bellini ao qual mais quero reportar-me é antecedido do nome Paulo – Paulo Bellini. Recentemente li seu livro de título “Marcopolo – sua
viagem começa aqui”. E, neste final de semana, em evento aqui em João Pessoa, reencontrando-me com Belmir Contin e Luiz Fernando (competentes e gentis representantes daquela empresa – a Marcopolo S/A – nos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte), compreendi que me faltava transmitir aos leitores as referências e reverência que agora faço a esse jovem de 86 anos, Paulo Bellini.

No campo da ciência administrativa sempre reverenciei – e o mundo todo também – Peter Drucker (“Papa da Administração”), que até 2005,
falecendo aos 96 anos, era buscado para dizer como uma empresa deva desenvolver-se. E eu desconhecia que houvesse, aqui no Brasil, nascido
em Caxias do Sul em 1927, um outro “Papa da Administração”, Paulo Bellini, ansiosamente esperado para, neste 16 de abril de 2013, expor,
dentro do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), e mostrar que o sucesso de qualquer empreendimento só ocorre mediante a
motivação das pessoas nele envolvidas.

Paulo Bellini é o presidente emérito da Marcopolo S/A, por ele fundada em 1949, então contando com 17 colaboradores e hoje tendo um
quadro de 22 mil profissionais espalhados por 10 países. Nessa sua valorização motivacional, enfatiza que o dia a dia empresarial não pode
distanciar-se da delegação de tarefas para pessoas obviamente capacitadas.

E ele – Bellini – detém uma outra importante característica, como dito por José Gallô, das Lojas Renner: “Apesar da grandiosidade de seu feito,
continua próximo das pessoas, acessível, humilde e inspirador”.

Esse referencial perfil de Paulo Bellini e suas lições de empreendedor, em que também se ressalta o aspecto ousadia, estão, claro,
nesse livro “Marcopolo – sua viagem começa aqui”. A propósito, disse Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba, sobre a Marcopolo e Paulo Bellini:
“Se uma empresa quer ser pioneira, ela tem de ousar, inovar. E a Marcopolo faz isso. Se não, nós estaríamos fazendo sempre as mesmas
coisas para o resto da vida”.

Leia Também