João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Cidades sustentáveis

Comentários:
publicado em 09/06/2013 às 19h10

Realmente se constituiu em um grande tento o feito do prefeito Luciano Cartaxo fazendo com que João Pessoa fosse escolhida pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para um de seus projetos – e financiamento – dentro do programa “Iniciativas Cidades Emergentes e Sustentáveis”. De acordo com o noticiário, a capital paraibana é a segunda das cidades escolhidas para essa ação do BID… e aí o tento apresenta-se ainda mais importante, porquanto temos tudo para dar um bom exemplo de como preservarmo-nos nos padrões de uma cidade oferecedora, aos seus habitantes e visitantes, de qualidade de vida!

Qual a cidade que queremos? Queremo-la para que seus visitantes encham-se de satisfação, mesmo que seus habitantes não tenham esse sentimento? Ou a queremos para que principalmente seus habitantes tenham esta satisfação por aqui residirem? Um fato é muito pedagógico: quando os próprios habitantes satisfazem-se com sua cidade, esta cidade também é bem apreciada e positivamente avaliada por seus visitantes!

A propósito e com o propósito de que a capital paraibana constitua-se mesmo em uma cidade oferecedora de qualidade de vida, João Pessoa, exatamente hoje (segunda-feira, dia 10), e continuando por todo o dia de amanhã (terça-feira, 11 de junho), promove várias reuniões, na Estação Cabo Branco, com as presenças de representantes do BID e da Caixa Econômica Federal, sob a coordenação – claro – da PMJP, objetivando auscultar segmentos representativos da sociedade pessoense, públicos e privados, para a construção de uma “cidade sustentável”, ou seja, uma cidade pessoense que garanta um real desenvolvimento e não simples crescimento desorganizado e predatório!

Na sexta-feira recente, dia 7, em Campina Grande, no seminário denominado “Cidade Expressa” para reflexões sobre a mobilidade urbana na respectiva Região Metropolitana, o Ministro das Cidades, paraibano Aguinaldo Ribeiro, chamou a atenção: “Planejemo-nos… Esqueçamos as picuinhas político-partidárias e nos unamos pelo desenvolvimento da Paraíba… Elaboremos projetos bons, convincentes, e apresentemos ao Ministério das Cidades…”. Parecia querer dizer: aproveitemos este tempo em que à frente do Ministério das Cidades está um paraibano que independentemente de cor partidária quer ajudar a Paraíba!”
O tempo é, pois, agora!… Pensemos e evidenciemos “qual a cidade que queremos”! E, óbvio, queremos uma cidade oferecedora de qualidade de vida… que não corresponde a uma cidade “inchada”, cheia de congestionamentos “acarretadores” de atrasos de viagens, atrasos de compromissos… atrasos de (e da) vida!
 

Leia Também