João Pessoa, 27 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 00:23 - 0.3 | 06:43 - 2.5 | 12:58 - 0.2 | 19:15 - 2.3 Dólar 3,30 - Euro 3,69

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Equilíbrio de forças

Comentários:
publicado em 10/07/2014 às 08h52
A- A+

Prevalecendo o que ficou consignado nas convenções, a Paraíba assistirá a uma disputa interessante para o Senado. Os três principais candidatos à única vaga aberta pelo fim do mandato do senador Cícero Lucena possuem perfis diferentes e prometem travar um pleito acirrado.

Primeiro colocado na última pesquisa Correio/Souza Lopes, com 19,9%, o ex-governador José Maranhão tem uma larga folha de serviços prestados à Paraíba, currículo sem máculas e reconhecimento até dos adversários. A longa trajetória e as três passagens pelo governo lhe deram forte capilaridade. É um nome competitivo.

O ex-senador Wilson Santiago tem respeitável base de prefeitos de pequenas cidades do Interior. Se lhe sobra o rico trânsito nas relações políticas, inclusive em Brasília, falta-lhe carisma pessoal. É na parceria com o senador Cássio Cunha Lima que Santiago aposta para suprir essa carência.

Entre os dois, o ex-superintendente da CBTU, Lucélio Cartaxo, é o único novato e disputará pela primeira vez um mandato eletivo em tempos de vozes pela renovação. A condição de desconhecido tem, porém, dois aspectos. O positivo: não tem rejeição. O negativo: a falta de experiências que credenciem a cargo tão relevante e representativo.

A princípio, Maranhão é o favorito, por tudo que foi dito, mas não pode perder de vista seus competidores. Por um detalhe: ao contrário de Maranhão – candidato numa chapa sem muita perspectiva de vitória, Lucélio tem a força do governo e do irmão em João Pessoa e Santiago conta com o maior cabo eleitoral do momento.

Pela concorrência no páreo e a peculiaridade de um pleito com três candidatos a governador de densidade, a eleição deste ano começou desde o nascedouro com características atípicas e a briga pro Senado tem tudo para ser um capítulo à parte.
 

*Artigo publicado na coluna do jornalista no Correio da Paraíba, edição do dia 10/07/2014 (quinta-feira).

Leia Também