João Pessoa, 11 de julho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
pernambuco

Com sintomas de embriaguez, Vavá e Márcio são expulsos de show

Comentários:
publicado em 11/07/2018 às 15h55

Os gêmeos do pagode Vavá (ex-Karametade) e Márcio foram expulsos de uma casa de shows neste sábado (7), em Caruaru, no interior de Pernambuco, depois de reclamarem da qualidade do sistema sonoro do local, que não estaria fornecendo o retorno de suas vozes no palco.

Segundo relatos, os cantores começaram a demonstrar insatisfação com o som, chegando a paralisar a apresentação com Márcio apontando para o ponto do ouvido. A reclamação explícita irritou o dono do Boteco dos Primos, localizado na região central de Caruaru, que convidou a dupla a se retirar imediatamente.

De acordo com o responsável pelo espaço, os irmãos estavam alcoolizados e ainda chegaram com atraso ao compromisso. “Todas as bandas tocaram com o mesmo som da casa de hoje”, queixou-se ele usando um microfone, enquanto a dupla ainda estava no palco.

“Os caras já não têm mais voz e colocamos o som no talo, por isso que está apitando o som. Agora esses caras chapados em cima do palco, que chegaram com uma hora de atraso, vêm humilhar minha casa. Não humilha, não. Desce do palco, por favor. A casa é minha e eu peço para vocês se retirarem.”

Surpreendidos, Vavá e Márcio deixaram a casa sem terminar a apresentação e, diante de repercussão, publicaram um vídeo em resposta nas redes sociais. Os irmãos, que assumem o atraso, negaram que tenham agido com desrespeito e afirmaram que houve atraso no pagamento da segunda parte do cachê.

“Tivemos três shows nessa noite, o de Caruaru seria o terceiro. Ele sabia do nosso atraso e em vez de nos colocar logo em cima do palco, não, ele deixou a gente dentro do camarim mais de duas horas, e atendemos mais de cem pessoas, e ele não chegava com o restante do cachê. Segurou a gente até onde pode”, diz Vavá no vídeo.

“Eu não estava me ouvindo. Fica impossível. Quem trabalha no meio da música sabe que sem o retorno é impossível. Foi esse o nosso pedido”, justificou-se Márcio.

BOL

Leia Também