João Pessoa, 23 de junho de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
PERSPECTIVA PARA A VIDA

‘Câncer não é meu vilão, se tornou professor’, diz Ana Furtado

Comentários:
publicado em 23/06/2018 às 11h13

Confiante no tratamento do câncer de mama, Ana Furtado explicou em postagem neste sábado (23) que a doença trouxe uma nova perspectiva para sua vida. “O futuro pode ser desejado, mas não está escrito… E tudo o que acontece tem um propósito maior. O câncer não é mais o meu vilão. Ele se tornou o meu professor. E como boa aluna que sempre fui tenho aprendido cada lição com a sabedoria que nem eu sabia que possuía”, escreveu a apresentadora, que iniciou as sessões de quimioterapia no começo do mês após retirar o tumor na mama.

Autoestima é valorizada: ‘Oportunidade de me amar’

Na reflexão, a apresentadora do “É de Casa” também falou sobre como o tratamento está trazendo benefícios em sua relação si mesma. “Se abra para se redescobrir, se reconectar consigo mesmo e reaprender a viver. Essa tem sido uma oportunidade extraordinária para me amar e me conhecer cada dia mais”, afirmou Ana. Anteriormente, ela havia contado aos seguidores porque não se identifica com o termo “paciente”. “Decidi que não sou apenas uma paciente: tenho minha identidade, individualidade, minha força e vontade de viver e preciso que elas sejam meus guias nessa jornada. Estou presente e ciente de cada decisão dos meus médicos. E isso tem sido fundamental pra mim. Me sinto no controle em direção à minha cura. Isso me fortalece e me dá a certeza de que cada escolha, cada decisão é assertiva”, ponderou.

Apresentadora está usando máscaras em passeios

Um dos efeitos colaterais da quimioterapia é a queda da imunidade e, para preservar sua saúde, Ana tem recorrido a máscaras cirúrgicas para manter sua rotina fora de casa. Clicada com a filha, Isabella, na noite desta sexta-feira (22) em shopping no Rio, ela cobriu o nariz e a boca com o item, estampado em preto e branco. Outro reflexo da quimio que está sendo evitado por Ana é a queda de cabelo: a global iniciou sessões de crioterapia. “Esse resfriamento no couro cabeludo é muito doloroso, mas reduz a quantidade de quimioterápicos que chegam até os bulbos capilares, diminuindo a queda de cabelos. Antes, é preciso encharcar a cabeça para depois colocar a touca. Foram 4 horas e meia com o equipamento na cabeça: meia hora antes do início da quimio e 2 horas após o término dela”, contou na web.

Pure People 

Leia Também