João Pessoa, 18 de abril de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
são paulo

Condenado por matar casal Richthofen é preso

Comentários:
publicado em 18/04/2018 às 09h11
atualizado em 18/04/2018 às 10h37

Cristian Cravinhos, um dos autores do assassinato dos pais de Suzane von Richthofen, foi preso na madrugada desta quarta-feira (18) suspeito de agredir uma mulher e tentar subornar policiais em Sorocaba (SP).

De acordo com a Polícia Militar, a equipe foi acionada para atender uma ocorrência de briga de casal no bairro Trujillo, mas quando os policiais chegaram ao local encontraram apenas uma moto. Às 8h, Cristian saiu da delegacia e foi encaminhado ao Fórum para audiência de custódia.

Os PMs fizeram buscas nas imediações e encontraram o casal que estaria brigando. Segundo a polícia, ao ser abordado, Cristian se apresentou como “um dos irmãos Cravinhos”.

Ele teria oferecido R$ 1 mil para não ser preso e disse que o irmão, Daniel, viria da capital com mais R$ 2 mil para dar aos policiais. Cristian foi flagrado com dinheiro, um revólver e munição de uso exclusivo do Exército.

Ele foi preso em flagrante por corrupção ativa e posse ilegal de arma de fogo. Cristian vai passar por audiência de custódia nesta quarta-feira (18). A mulher que estava com ele foi liberada.

Na época do assassinato do casal von Ricthtofen, em 2002, o irmão de Cristian, Daniel Cravinhos, era namorado de Suzane. O trio planejou e assassinou Manfred e Marísia Richthofen na casa da família, na zona sul de São Paulo. Os pais de Suzane eram contra o namoro da filha com Daniel Cravinhos.

Suzane von Richthofen e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos de Paula e Silva foram submetidos a júri popular em 2006. Suzane foi condenada a 39 anos de reclusão em regime fechado e seis meses de detenção no semiaberto, além de multa; Daniel, a 39 anos e seis meses, no mesmo regime da ex-namorada.

Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses em regime fechado, mas deixou a penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé (SP), em agosto de 2017, após ser autorizado pela Justiça a cumprir o restante de sua pena em regime aberto. A decisão foi da Vara de Execuções Criminais de Taubaté.

Condenado a 39 anos de prisão, Daniel Cravinhos também conseguiu o mesmo benefício em janeiro deste ano, quando deixou a penitenciária em Tremembé (SP) para cumprir o restante da pena em liberdade.

G1

Leia Também