João Pessoa, 26 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 04:30 - 2.6 | 10:41 - 0.0 | 16:58 - 2.6 | 23:00 - 0.1 Dólar 3,26 - Euro 3,64

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Fernando Lira e os feriados

Comentários:
publicado em 06/01/2015 às 16h09
A- A+

Neste domingo, logo pela manhã, à porta de uma farmácia do Retão de Manaíra, encontrei-me com um “velho” amigo, rapaz bem moço, de nome Fernando Lira, bastante conhecido como um dos diretores da combativa APLP, entidade que muito atua na defesa do magistério.

Na conversa de uns dez minutos veio à tona até a questão dos tantos feriados nacionais que neste ano de 2015 (e desde o Natal de 2014) mais coincidem em ocorrer no meio das semanas. E aí Fernando Lira logo “cutucou” dizendo que, em relação aos feriados, sempre se lembra de mim em face dos vários artigos que já escrevi enfatizando sobre os prejuízos que “essas férias” causam à economia brasileira.

Realmente, e recentemente, tanto a Associação Comercial como o Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro chamaram a atenção de que, só em relação à “Cidade Maravilhosa”, em 2015, em função dos feriados nacionais, estaduais e municipais que vão cair em meio de semanas, há uma previsão de queda no faturamento do comércio local que alcançará os R$ 7,2 bilhões! Se tal ocorre relativamente ao Rio de Janeiro, óbvio que proporcionalmente acontece em todas as demais cidades brasileiras!

No entanto, bem esclareci a Fernando que, como toda pessoa normal, eu também gosto de feriados, aproveitando-os especialmente para estar bem mais perto dos filhos e netos, e, claro, com a esposa, Ana! Mas, muito também gostaria que o Congresso Nacional votasse e aprovasse um Projeto de Lei de autoria do ex-senador Roberto Cavalcanti que faria (ou fará) com que os feriados que caírem entre a terça e a sexta feiras sejam transferidos para a segunda feira, excetuando os das datas como a do Ano Novo, a do Natal e a do Sete de Setembro, afora, claro, a Sexta Feira Santa!

Note-se, portanto, que não estou contra os feriados, nem mesmo o de 21 de Abril (Dia de Tiradentes), que atualmente só faz sentido lá pelas Minas Gerais, particularmente na cidade que tem o nome do Mártir da Independência! E neste ano de 2015, o 21 de Abril cairá em uma terça feira. Que prejuízo haveria se sua comemoração (o feriado) fosse transferido para a segunda feira?!

Mas, voltando a Fernando Lira e ele se dizendo também convencido da necessidade de racionalizarem-se os feriados, entre nós ficou uma questão: no mês de outubro já tem o feriado nacional, portanto intocável, da Padroeira do Brasil (dia 12, segunda feira). Já no dia 15 (quinta feira) será Dia do Professor. A terceira segunda feira do mês é em João Pessoa comemorado o Dia do Comerciário (dia 19). E na quarta feira 28 será Dia do Servidor Público. Por que não se reunirem esses três feriados específicos (dos dias 15, 19 e 28) em um só, que poderia ser na segunda feira 26 de outubro?! Não seria bem mais racional e melhor aproveitado?!

Leia Também

error: Conteúdo protegido!