João Pessoa, 04 de abril de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
na bahia

Homem grava vídeo de sexo em protesto contra políticos

Comentários:
publicado em 04/04/2018 às 13h29

Um casal gravou um vídeo onde aparece fazendo sexo na frente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, sul da Bahia. De acordo com o homem, que segura a câmera, o ato se trata de um protesto.

O vídeo foi postado no site de vídeos eróticos “XVideos”, segundo mais acessado do gênero no mundo e o primeiro do Brasil, onde está em 14º no ranking geral, de acordo com o portal de pesquisa de marketing Alexa, o vídeo se espalhou rápido em grupos do WhatsApp.

O carpinteiro que se identificou ao CORREIO apenas como Márcio disse estar revoltado com o descaso relacionado a um “buraco enorme” na rua onde mora, no bairro Tancredo Neves.

“Precisei deles [vereadores] para tentar resolver o problema de uma cratera aqui na rua, fiquei uns três a quatro meses lutando para ver se conseguia uma areia, um entulho para poder fechar as valetas, mas ninguém me atendeu. Só falava com assessores que não resolviam nada, nem me davam atenção direito”, contou o varão.

O problema ocorreu no final do ano passado e de lá para cá, segundo disse, o problema ainda não foi resolvido. Até sessões da Câmara local ele disse que passou a frequentar, tendo ido em “umas duas ou três”.

“Eu me revoltei porque não consegui nem a terra para aterrar minha rua aqui. Eu pensei em uma maneira nova de fazer uma reivindicação, para chamar a atenção dos vereadores, e deu isso”, contou, se referindo ao vídeo, gravado na madrugada de domingo.

“Tomei umas duas pingas, estava andando pela rua de pé. Tanto que nem consegui me expressar tão bem como eu queria. Se fosse agora [no momento da entrevista ao CORREIO], ia falar toda situação real dos acontecimentos aqui em Teixeira”, completou.

Demanda e apoio popular

No vídeo, enquanto faz sexo com a esposa, cuja identidade Márcio prefere não falar, diz que a cidade precisa de mais emprego, asfaltamento e saneamento básico. “Não tem nada nessa cidade, é defasada”, ele resume.

Sobre fazer o vídeo de sexo em público, Márcio disse que “fica preocupado, mas depois passa”. “É minha maneira de reivindicar, fiz o vídeo, postei e apaguei”, falou.

“Eu posso ter cometido erro, mas a população está me apoiando. Muita gente como eu chega lá para ser ouvido e não consegue. Eu não botei fogo em ônibus, não destruí nada. Fiz algo para a minha própria pessoa. Para mim, não mudou nada”, contou.

Reincidência

Este ano é o segundo vídeo de sexo em público que Márcio grava. O primeiro foi em frente a um bar dia 28 de janeiro, no Centro, em plena luz do dia, segundo disse, “foi só por gravar”.

Até então anônimo em Teixeira de Freitas, Márcio tem certa fama nas redes sociais pornográficas. No XVideos, por exemplo, já postou 73 vídeos de sexo amador, alguns deles em público, mas a maioria dentro de casa.

Ele e a esposa gostam de se divertir com uma amiga. Os três se revezam com a câmera, registrando tudo em fotos e vídeos, os quais já tiveram 8.422.833 visualizações.

Em seu perfil no XVideos, que tem 15.333 assinantes, Márcio se diz interessado em “mulher, homem, casal, homem gay, casal gay, mulher lésbica, casal lésbico, travesti, transexual, casal transexual, máster e escravo(a)”. Mas não vive só de sexo. Em 2016, começou a estudar Enfermagem, mas perdeu o emprego de carpinteiro e largou o curso em uma faculdade particular no terceiro semestre. Desempregado ainda, ele é pai de um menino de 11 e uma menina de 12 anos, e está “vivendo de bicos” como carpinteiro.

Intimado a depor

Nesta segunda-feira (2), Márcio foi intimado pela Polícia Civil de Teixeira de Freitas a depor à 9h desta terça-feira sobre o vídeo na porta da Câmara, após o presidente da Casa, vereador Agnaldo Teixeira Barbosa (PR), prestar queixa na delegacia.

“Ele está conhecido como ‘negão do vídeo’. Vai assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), pelo crime de atentado ao pudor, e será liberado. É um crime que prevê pena de seis meses a um ano, mas vai responder em liberdade”, disse a delegada Valéria Fonseca Chaves, coordenadora da 8ª Coordenadoria de Polícia do Interior.

O CORREIO não conseguiu contato com o vereador Agnaldo Teixeira Barbosa. Por meio de nota, a Câmara de Vereadores considerou o vídeo como “atos de expressão imoral e desrespeitoso, caracterizando claramente o crime de ato obsceno, previsto na nossa Lei Penal”.

“A Câmara Municipal de Teixeira de Freitas declara sua indignação e por meio da sua procuradoria jurídica assegura tomar todas as medidas cabíveis em resposta ao um evento delitivo repugnante que pretende desclassificar e desmoralizar, um poder, a família teixeirense e os bons costumes de uma sociedade”, diz o comunicado.

Correio 24 Horas

Leia Também