João Pessoa, 31 de março de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
JOÃO PESSOA

Ciclovias são usadas como estacionamentos

Comentários:
publicado em 31/03/2018 às 11h08
atualizado em 31/03/2018 às 16h02
Ciclovia na Tancredo Neves (Foto: MaisPB)

Ciclovias de João Pessoa estão sendo utilizadas como depósito, estacionamento e se tornaram um desvio para carros e motocicletas que usam “o jeitinho” para driblar o trânsito. Na avenida Tancredo Neves e na via que interliga os bairros de Valentina e Geisel os problemas são perceptíveis.

De acordo com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (SEMOB – JP), no caso da Tancredo Neves a ciclovia foi totalmente descaracterizada. O principal motivo é que algumas partes servem de estacionamento para veículos e outras estão interditadas.

Ao Portal MaisPB, o superintendente da SEMOB – JP, Adalberto Araújo, informou que um projeto da  prefeitura está em fase de conclusão para reestruturar a área e fazê-la voltar a funcionar. Um setor realiza um estudo para que ela não seja mais pela frente do comércio, mas sim pelo canteiro central.

“Mesmo que a via fosse liberada, ela não funciona mais como ciclovia, pois foi um projeto antigo, com mais de 20 anos e que nunca funcionou porque não teve ligação. Ela chega até o acesso para o Bairro dos Estados e neste trecho foi totalmente invadida. Por isso, foi determinado que o setor de planejamento elaborasse um projeto para dar continuidade a ciclovia da Tancredo Neves até a do Retão de Manaíra”, esclareceu.

O representante do grupo de ciclistas “Pedal Jampa”, André Nascimento, explicou ao Portal MaisPB que um projeto deste tipo precisa de aproximadamente dois anos para ser concretizado. Para ele, a fiscalização existe, porém a grande dificuldade está na falta de educação da população da Capital, além da inexistência de uma legislação de trânsito mais rígida.

Nos bairros de Mangabeira, Valentina, na Praça do Caju e na Orla do Cabo Branco foram citados outros problemas, como ultrapassagens indevidas e pessoas com bicicletas, patins ou skates, utilizando o mesmo espaço que os pedestres e motoqueiros. Por último, André acrescenta casos de agressões aos ciclistas.

“A legislação de transito diz que a ciclovia pode ser compartilhada por patins, skate ou bicicleta e não é permitido pedestre. Porém, eles têm que andar juntos pela falta de educação das pessoas”, lamentou.

O superintendente alertou que caso seja encontrado algum veículo estacionados nestas áreas, a determinação é que ele seja rebocado e dono multado. No entanto, ele afirma que não existem muitas denúncias deste tipo na cidade. O cidadão que flagrar a ocupação da ciclovia pode ligar para o 0800 281 1518 e solicitar o reboque do carro ou moto.

“Estamos concluindo a elaboração do plano de mobilidade e a intenção não é mais ter ciclovias como temos hoje, ou seja, ciclovias separadas. O objetivo é ter uma rede de ciclovias ligando  as zonas da cidade. Com o plano de mobilidade, vamos construir uma rede totalmente interligada ao sistema de transporte público para se deslocar pela cidade com segurança” , concluiu o representante da SEMOB.

Juliana Cavalcanti – MaisPB

Leia Também