João Pessoa, 26 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 05:56 - 2.6 | 12:09 - 0.1 | 18:28 - 2.4 Dólar 3,30 - Euro 3,69

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Desde 1993 exerce as funções de Diretor Executivo da AETC-JP. Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Um presídio federal em Bayeux

Comentários:
publicado em 16/06/2017 às 15h34
A- A+

Pensara em titular estes escritos como “A polêmica de um presídio federal para Bayeux”. Mas, avaliando as repercussões sobre o assunto, concluí que não há tanta polêmica assim, não, especialmente quando sobre este assunto até uma pesquisa via “internet”, promovida pela Prefeitura, já apontava 75% da população favoráveis com tal obra em solo bayeuxense.

Face meus vínculos sentimentais com esta “paraibana cidade francesa” – que lá nos anos 60 constituiu-se no município (fora a capital) a instalar luz florescente por toda sua principal avenida(a Liberdade), pelo que à época ganhou a denominação de “cidade luz da Paraíba” – e também tendo lido no “Blog do Rubão” uma reportagem em que meu amigo Léo Micena (candidato a prefeito da cidade na eleição de 2016) iniciara uma campanha “contra” a instalação do referido presídio federal(ele, Léo, temendo que esse presídio acarrete problemas de violência/insegurança para a população), entendi também “colocar a colher nesse angu”. Aliás, para mim um bom angu, tão gostoso quanto uma canjica, vez que me incluo – como “cidadão bayeuxense” – dentre aqueles 75% favoráveis à obra.

Penso igualmente que a esta altura Léo Micena (sempre aberto ao diálogo e deste diálogo chegando a conclusões que até possam ser diferentes das que ele próprio tinha inicialmente) também já concluiu que a construção e consequente instalação de um presídio federal em Bayeux não provocará risco algum para a população, isto por tudo quanto já foi debatido sobre o assunto e em que houve até pronunciamento de um membro da OAB-PB. E Léo Micena sempre me pareceu um político sem ser daqueles de “fazer oposição por oposição”, não

Gente!… A receita mensal da Prefeitura de Bayeux é de um pouco mais de R$ 10 milhões. Só a construção desse presídio federal representa um investimento de umas cinco a seis vezes esse valor, gerando, nesse tempo, cerca de 400 empregos diretos! A área de sua construção é hoje praticamente inabitada, tanto que para sua ligação com as vias já existentes, construir-se-á uma nova estrada de 5 km. E tudo isto, tal como aconteceu em Mossoró/RN, corresponde a um imã para o incremento imobiliário.

Para encerrar, não poderia deixar de inserir a informação que mais me chamou a atenção em tudo que pesquisei sobre o assunto: nunca houve rebeliões ou fatos similares no âmbito dos presídios federais instalados no Brasil. Eles (atualmente 4) são realmente providos de todas as condições de segurança… segurança para os próprios detentos… segurança para a população que está no entorno dos mesmos. Daí, a conclusão de que esse presídio federal em Bayeux, diferentemente do que alguns pensam que provocaria malefícios, só trará benefícios para a cidade, que não pode abrir mão desta oportunidade!

Leia Também