João Pessoa, 21 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
Após transposição

Nível do açude de Boqueirão já atinge 4,7%

Comentários:
publicado em 18/05/2017 às 17h07
atualizado em 19/05/2017 às 09h50

A utilização das águas do rio Paraíba e do açude Epitácio Pessoa será decidida em Brasília. Diretores da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) e da Agência Nacional das Águas (ANA) se reúnem para elaborar os parâmetros que vão nortear a gestão conjunta das águas recebidas do rio São Francisco.

Popularmente conhecido como Boqueirão, o açude Epitácio Pessoa está com 19 milhões e 50 mil metros cúbicos, o que equivale a 4,7 % de sua capacidade máxima (411 milhões). Por conta do baixo nível do reservatório, continua proibida a retirada de água para agricultura irrigada, aquicultura, piscicultura e carcinicultura.

“Em parceria com a ANA vamos elaborar uma resolução que será válida tanto para águas de domínio da União, que é o caso de Boqueirão, como para as de domínio estadual, no caso do rio Paraíba. Dentro desta resolução será analisada a possibilidade de utilização para irrigação e outros usos”, informou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

O presidente da Aesa também participará, em Brasília, da Câmara Técnica de Cobrança pelo uso de Recursos Hídricos (CTCOB). Durante o encontro organizado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio do Conselho Nacional de Recursos Hídricos, devem ser definidos os valores a serem cobrados pelo uso de recursos hídricos de domínio da União.

Açudes – Dos 126 reservatórios monitorados pelo Governo do Estado, 36 estão com mais de 20% do seu volume total, 46 tem menos de 20%, 43 estão em situação crítica (com menos de 5% do volume total) e dois estão sangrando. A relação completa e o nível de cada reservatório estão disponíveis no site www.aesa.pb.gov.

MaisPB com Secom-PB

Leia Também