João Pessoa, 24 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 02:56 - 2.5 | 09:04 - 0.2 | 15:17 - 2.5 | 21:21 - 0.1 Dólar 3,28 - Euro 3,67

ÚltimaHora
aumento na passagem

Entidades do Conselho de Mobilidade contestam que não haja transparência

Comentários:
publicado em 11/01/2017 às 10h47
A- A+

Três entidades estudantis fazem parte do Conselho de Mobilidade Urbana da Semob de João Pessoa. E uma delas, a União Pessoense dos Estudantes Secundaristas, por seu presidente, Elycarlos Aguiar, contestou a reclamação que fazem alguns setores sociais, especialmente os de raiz partidária, de que não haveria transparência na planilha tarifária que anualmente é apresentada ao referido órgão colegiado para a fixação do valor da passagem.

“Se não houvesse essa transparência,as entidades – a Upes (União Pessoense dos Estudantes Secundaristas), o DCE/UNIPE (Diretório Central dos Estudantes do Centro Universitário de João Pessoa) e o DCE/UFPB (Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal da Paraíba)–certamente não aceitavam fazer parte do Conselho de Mobilidade Urbana”. Foi o que enfatizou o representante da Upes, Elycarlos Aguiar, contando com o aceno afirmativo do ex-presidente da mesma entidade, Jamacyr Mendes.

“Não se pode confundir a vontade que todos temos em que a tarifa seja a mais módica possível com a realidade dos números e comprovantes das despesas inerentes à operação do transporte coletivo. Os cálculos são reais e absolutamente corretos” – disse o representante da Upes.

O representante da Upes inclusive lembrou que mesmo o DCE da UFPB, normalmente de posicionamentos radicais contra o reajuste da tarifa, ele nunca se colocou contra a planilha em si e concorda que se trata de um formato matemático que, mediante os dados demonstrados nos comprovantes de despesa, reflete a verdadeira necessidade de valor para o equilíbrio econômico da prestação dos serviços.

Ainda pelo representante daUpes foi dito que “Se não há transparência na apreciação da planilha da tarifa dos ônibus de João Pessoa, afinal, o que seria essa tal transparência? Chamar a população para o Almeidão e mostrar documento por documento das despesas e em quanto isso soma para dividir com os passageiros transportados?” – deu ênfase.

Já da parte do ex-presidente da Upes, Jamacyr Mendes,foi destacado que são três as entidades estudantis integrantes do Conselho de Mobilidade Urbana. “E tem até representante da Câmara Municipal! Vamos querer até desqualificar os vereadores eleitos pelo povo e dizer que eles, por seu representante, seriam coniventes com a falta de transparência?” – questionou.

De acordo com Jamacyr Mendes, “é normal que todos queiramos que nada aumente de preço. Mas o fato é que especialmente os itens do transporte coletivo, principalmente os combustíveis, estão aí subindo de preço. E os salários dos motoristas e cobradores elevaram-se em 10% desde julho passado”, disse.

MaisPB

Leia Também