04 de dezembro de 2016 - 23:21

última hora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

18 de novembro de 2016 - 14h04 • atualizado às 16h14

Polêmica do Gravame: Ricardo peita todos e impõe ‘estilo’

ricardocoutinho

Governador sabe catalisar brigas em seu favor e encerrar polêmicas de pé e ajoelhando ´obstáculos´

A mudança no sistema de informações de financiamento de veículos, no Detran, é a prova da sagacidade política com o qual o governador Ricardo Coutinho se impõe como político e administrador.

Bancos, financeiras e concessionárias chiaram, reagiram e apresentaram os prejuízos causados ao setor – paralisado há 20 dias sem vendas. Foram a público, lamentaram a situação e apelaram ao Governo pela revisão da medida.

Coutinho deu de ombros, ignorou o discurso dos empresários e assinou a sentença final, em entrevista hoje à imprensa: não recua um milímetro.

Inteligente, Ricardo sacou rapidamente em seu favor o discurso contra o ”monopólio e puxou para si a “coragem”de enfrentá-lo. Fez o que sabe com maestria; a tese do nós contra eles.

O `nós’ aqui representa o Governo que peitou os bancos para conquistar mais receitas e o ‘eles’ são as empresas, empresários, vendedores e financeiras interessadas somente, por essa visão, nos lucros comerciais.

Após reunião, sobrou para o segmento inteiro a concessão de prazo de 60 dias para se adaptar ao novo modelo. E só. Traduzindo: Ricardo deu as coordenadas e quem não aceitar que se quebre. E olhe que está enfrentando gente graúda, inclusive dos conglomerados de comunicação. Sem nenhum melindre e sem piscar os olhos.

E o que acontecerá? Todos se renderão, vão ter que se moldar às regras recentes e, mais uma vez, o governador sai por cima da carne seca. Essa polêmica do gravame é somente mais um exemplo. A tática vem sendo aplicada com êxito, da política aos Poderes. Ao final das contendas, um final sempre se repete: Ricardo firme e de pé e todos ajoelhados. É para tirar o chapéu.

Marcos CavalcantiExplicações do TJ
Em nota à Coluna, a assessoria do presidente do Tribunal de Justiça, Marcos Cavalcanti (foto), explicou a “retirada” do plenário de assessores da desembargadora Maria das Neves, sequelada de um AVC, que tentaram ajudá-la na hora do voto. “Na verdade, o que ocorreu é que, primeiro, assessores da desembargadora conduziram a mesma até a bancada do Pleno, o que é permitido. Porém, quando começou a votação, foi verificado que duas assessoras permaneceram ao lado da desembargadora, auxiliando a mesma a votar, o que não é permitido em uma eleição”. Resumo: a justificativa foi a preservação do “voto secreto”.

BRASAS
*Repercussão – No próprio TJ, onde o fato chamou atenção e chocou há alguns, se contesta a versão. Lembra-se que o Estatuto da Pessoa com Deficiência garante tal auxílio.

*Tá na Lei – No artigo 76 da Lei 13146/2015 há previsão da permissão para que a “pessoa com deficiência seja auxiliada na votação por pessoa de sua escolha”.

*Gato no telhado – O líder do Governo, Hervázio Bezerra (PSB), se diz contra a transferência da sede da Assembleia. Como jabuti não sobe em árvore…

*Sem festa – Aniversariante do dia, Ricardo deve passar o dia inteiro de trabalho e se recolher à noite.

*Hibernação – O precoce debate da eleição da Mesa Diretora da Câmara de João Pessoa deu uma esfriada.

*Bode expiatório – É grande o movimento para derrubar o secretário da Funjope, Maurício Burity. Com direito a fogo amigo e tudo.

FALA CANDINHA!
Consolo
Segundo Dona Candinha, os policiais cariocas logo acalmaram Garotinho, que deu escândalo para ir até o Presídio de Bangu: “Deram um pirulito a ele”.

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Por que será que a reunião de Ricardo com Zé Aldemir, adversário e prefeito eleito de Cajazeiras, na Granja Santana, foi à portas abertas?

ricardo coutinho3PINGO QUENTE
“Na Paraíba não há espaço para monopólio e cartel e é bom que respeitem o Estado”. Do governador Ricardo Coutinho (PSB-foto), em recado duro e direto.

Outras Postagens