João Pessoa, 26 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 04:30 - 2.6 | 10:41 - 0.0 | 16:58 - 2.6 | 23:00 - 0.1 Dólar 3,28 - Euro 3,68

ÚltimaHora

Jornalista desde 1995 pela UFPB, com pós-graduação em Jornalismo Cultural. Radialista, marido de Gi, pai de Theo e editor setorial no jornal Correio da Paraíba. Torcedor do Flamengo e ex-professor do curso de Jornalismo na FFM. Já trabalhou, também, nos jornais A União e O Norte, no portal Tambaú 247, além das rádios Cabo Branco FM, Jovem Pan AM e CBN, sendo freelancer dos jornais O Globo e Estado de S.Paulo. Contato com a Coluna: jamarrinogueira@gmail.com

Porque hoje é Domingos…

Comentários:
publicado em 18/09/2016 às 10h26
atualizado em 21/09/2016 às 10h27
A- A+

Quando criança, visitando a biblioteca da escola onde estudava, tive acesso a uma coleção chamada ‘Lendas do Brasil’. Tal leitura rendeu saber, mas também pesadelos. Muitos pesadelos (que me renderam o medo – até hoje – dos rios e do mar)…

Por muitas noites, Nego D’água gargalhou. Mãe D’água enxugou meus cabelos. E o Minhocão me perseguiu. Personagens lendários que habitam o universo fantástico daqueles que moram nas regiões cortadas pelas águas do rio São Francisco.

Quinta-feira passada, o rio bebeu a vida do ator Domingos Montagner. E todos os pesadelos que já tive alfinetaram minha barriga. Fiquei triste. Senti-me em aperreio mesmo. Montagner puxado pelos cabelos pelas tais criaturas que habitaram meus pesadelos.

Santo, personagem de Montagner na novela ‘Velho Chico’, já havia sido bebido pelo rio. A vida imitando a arte redimensionou a tragédia… Deixou tudo pior (muito pior!). Aliás… as piadas mórbidas nas redes sociais é que deixaram tudo pior mesmo…

Imagino a dor da família e me afogo em uma dor solidária. Imagino a dor dos amigos de set, como os atores e atrizes paraibanos Beto Quirino, Zezita Matos, Lucas Veloso e Lucy Alves. Dor sem remédio (que nem o tempo pode se fazer tampão).

Conta-se que à meia-noite, o rio São Francisco dorme. Esse seria o momento em que as almas dos afogados se dirigiriam para as estrelas, sob o olhar atento da Mãe d’Água emergindo e enxugando os seus cabelos.

Não quero nem saber do Domingos Montagner que é ator. Penso é no Domingos que é pai, que é marido, que é gente. E torço para que, à meia-noite, ele já tenha encontrado seu lugar de calmaria nas constelações…

Leia Também

error: Conteúdo protegido!