João Pessoa, 19 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
PESQUISA

Estudantes pensam em empréstimo para pagar universidade

Comentários:
publicado em 18/05/2014 às 15h49

 Ter acesso ao ensino superior é um desejo da maioria dos estudantes brasileiros. Dados de uma pesquisa encomendada pela Ideal Invest apontam que os alunos não pensam em economizar na hora de escolher o curso.

A análise, que levou em conta as considerações e prognósticos de jovens das classes A, B e C, com idades de 16 a 30 anos e autodeclarada restrição financeira para pagar a faculdade, deixou claro que na hora de escolher o curso, os jovens entrevistados priorizam a perspectiva de se firmar como bom profissional e ascender social e economicamente.

Diante de 15 opções de respostas para a questão sobre o que mais pesa na escolha do curso, os entrevistados consideram como mais relevantes cinco itens: a possibilidade de ser um bom profissional, gostar de um determinado curso, perspectiva de ganhar um bom salário no futuro, empregabilidade e reconhecimento.

Por sua vez, realização da vocação pessoal fica em sexto lugar no ranking de relevância e o preço do curso universitário aparece na nona posição.

Entre os entrevistados que ainda estão fora da vida universitária, 92% declaram que pensam em prestar vestibular nos próximos anos. O avanço do plano rumo à realização depende principalmente da solução da questão financeira.

Para garantir a realização do projeto, o uso de financiamento privado ou público surge como opção considerada por 71% dos entrevistados que ainda não cursam faculdade e apontam que pretendem prestar vestibular, mesmo não conhecendo todas as opções de créditos existentes no mercado.

O número é quase o triplo dos atuais 24% de novos entrantes nas faculdades brasileiras que recorrem a algum tipo de financiamento ou bolsa.

— Isso mostra que há um descasamento entre o que é oferecido e o que precisa o jovem que quer estudar e não tem como bancar o curso universitário. Em parte isso se deve ao desconhecimento sobre este público. Nem mesmo as escolas sabem quem é e o que pensa este personagem porque muitas vezes ele nem chega a acessá-las por achar que não pode bancar a faculdade, comenta Rafael Baddini, diretor de Marketing e Produtos da Ideal Invest.

O especialista explica que cerca de 70% dos inscritos no Enem deste ano não pagaram a taxa de inscrição, uma prerrogativa para quem não tem renda ou vem de escola pública. Ou seja, quase dois terços do total dos estudantes que pleiteiam uma vaga na faculdade têm dificuldade financeira para pagar um curso superior.

Segundo o IBGE, mais de 24 milhões de brasileiros, entre 18 e 24 anos, estão fora do ensino superior.

R7

Leia Também