João Pessoa, 04 de maio de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
EXPOSIÇÃO

Campina: Facisa discute uso irracional de suplementos alimentares

Comentários:
publicado em 04/05/2016 às 17h41
atualizado em 04/05/2016 às 17h54

Os alunos do curso de Educação Física da Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande(FCM-CG) apresentaram, na manhã desta quarta-feira (4), uma exposição sobre os perigos do uso irracional de suplementos alimentares.

A atividade faz parte da disciplina Bioquímica I, ministrada pela professora Alyne Portela, e da disciplina Saúde e Sociedade, ministrada pela professora Adriana Amorim, incluída na II Semana de Uso Racional de Medicamentos.

A professora Alyne Portela explicou que essa atividade foi escolhida diante do anseio em desenvolver a temática, tendo em vista que muitas pessoas desconhecem os graves danos à saúde que o consumo indiscriminado de suplementos alimentares podem causar.

Tais danos podem englobar efeitos tóxicos, em especial no fígado e rins, disfunções metabólicas, danos cardiovasculares, alterações do sistema nervoso e, em alguns casos, levar até a morte. Isto pode ocorrer, segundo a professora, porque alguns desses suplementos possuem componentes que não são seguros como alimentos ou contêm substâncias com propriedades terapêuticas, que necessitam de um acompanhamento médico.

“O assunto é importante para os alunos do curso de Educação Física, porque muitas vezes as pessoas associam perigosamente a prática de atividade física à necessidade de um suplemento alimentar, e ainda em alguns casos, acreditam que usando um desses produtos conseguirá mais rapidamente ‘o corpo perfeito’, sem levar em consideração os riscos inerentes”, ressaltou.

Alyne Portela destacou, ainda, que diante de uma avaliação e prescrição por profissionais especializados, os suplementos alimentares podem trazer efeitos satisfatórios, porém, o forte apelo publicitário e a expectativa de resultados mais rápidos contribuem para uso indiscriminado dessas substâncias por pessoas que desconhecem o verdadeiro risco envolvido.

Já o aluno de Educação Física, Tiago Oliveira, falou sobre a importância para a comunidade acadêmica e sociedade sobre a conscientização e uso adequado da suplementação alimentar. “O suplemento deve ser visto como um complemento da alimentação do indivíduo e nunca como substituto das refeições. E justamente por isso deve ser prescrito por um profissional capacitado, neste caso o nutricionista”, disse.

MaisPB

Leia Também