João Pessoa, 18 de abril de 2019 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
patos

CRM desinterdita UTI de maternidade

Comentários:
publicado em 18/04/2019 às 13h50
atualizado em 18/04/2019 às 15h54

A interdição ética dos médicos que atuam da UTI Neonatal e na UCIN da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, acabou de ser revogada pelo Conselho Regional de Medicina, após uma vistoria técnica do CRM constatar a reposição de insumos e medicamentos e os estoques da unidade. O auto de desinterdição foi assinado no final da manhã desta quinta-feira (18) pelo coordenador do Departamento de Fiscalização do CRM-PB, Dr. João Alberto Morais Pessoa, em nome do presidente do CRM, Roberto Magliano de Morais.

Antes de fazer a vistoria in loco na farmácia e almoxarifado da Maternidade, o representante do CRM se reuniu com o diretor geral da unidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, de quem recebeu uma listagem dos insumos e medicamentos que já foram recebidos na unidade e que também estão para chegar nos próximos dias.

 A interdição tinha acontecido na última sexta-feira (13), em função da falta de alguns insumos e medicamentos que, imediatamente após o ocorrido foram solicitados através de compras emergenciais, mas que por conta do prazo de entrega não puderam ser repostos de forma imediata.

O representante do CRM esclareceu que a fiscalização do Conselho e posterior interdição da UTI Neo e da UCN da unidade se deu, exclusivamente, em função da falta de insumos e nada tem a ver com a questão do atraso dos salários. “O CRM fiscaliza as condições de trabalho, no que diz respeito a forma de atendimento e a assistência à população, a questão salarial, é bom que fique claro, não nos compete, por isso, mesmo ainda vivenciando essa situação de atraso salarial dos médicos da unidade, esses setores da Maternidade não podem continuar interditados por essa razão pela importância estratégica destes serviços para a saúde pública de todo o sertão paraibano”, reforçou Dr. João.

O representante do CRM explicou que embora o auto de desinterdição determine que ela aconteça a partir da zero hora, do dia 19, os setores já podem ser utilizados de forma imediata, desde que estejam aptos para isso. Imediatamente, após a notícia da disponibilidade da UTI, a Maternidade já recebeu pedidos de ocupação.

A Secretária de Estado da Saúde, Claudia Veras, reafirma o compromisso do Governo do Estado com a solução da situação e o desmedido empenho por parte de todas as pastas envolvidas para a solução o mais célere possível. “Compreendemos a importância da Maternidade Peregrino Filho para a rede de atenção obstétrica na Paraíba, e a restauração do seu pleno funcionamento é fundamental para a gestão da saúde”, disse ela, após tomar conhecimento da desinterdição.

MaisPB

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também