João Pessoa, 02 de maio de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Max Oliveira é graduando em Comunicação Social pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem passagens pelas principais emissoras de rádio de João Pessoa, onde atuou fazendo cobertura esportiva. Atualmente é comentarista e colunista do Mais PB.

FUTEBOL

Tá certo isso?

Comentários:
publicado em 02/05/2016 às 17h53
atualizado em 04/05/2016 às 16h56
O título da Copa do Nordeste pelo Campinense seria, sem dúvida, um bônus e tanto para o futebol paraibano – disso ninguém duvida. Mas ele não aconteceu. E não foi por falta de torcida – contra e a favor.
Sim, enquanto raposeiros faziam festa espetacular para seu time, milhares de paraibanos torciam sim contra uma segunda volta olímpica da raposa na Copa do Nordeste.
Mais precisamente os rivais históricos do futebol paraibano – Treze e Botafogo.
Pergunto: qual o problema disso?
O que estava em jogo era a disputa duas equipes brigando pelo título de melhor do Nordeste – o que sobrepõe a questão regional, além de dar ao Campinense e ao Santa Cruz o lugar merecido na história que eles escreveram em campo.
Houve quem tratasse a disputa como sendo Paraíba contra Pernambuco, Campina Grande versus Recife, e até forró contra frevo. Por uma questão geográfica e cultural, as observações são consideráveis.
Mas a lógica que norteia o futebol é outra.
A rivalidade é o que torna o futebol apaixonante. Sem ela nem haveria necessidade do Campinense ser campeão.
Afinal, quem dúvida que os torcedores do Náutico e do Sport são as principais vítimas da euforia tricolor com a conquista do Nordestão?
O Campinense também faria o mesmo com os rivais locais, por isso queria tanto ser campeão.
Fora desse jogo de secar estão os simpatizantes do futebol local e os torcedores de times que não são rivais do Campinense – esses engrossaram o canto de Raposa.
Mas a Paraíba continuará sendo uma Joia Rara, cantada a plenos pulmões por raposeiros, trezeanos e botafoguenses.
O seu futebol também continuará sendo empolgante, desde que os rivais históricos mantenham sempre acesa a chama da rivalidade.
Em tempo: mesmo com a perda do título, o Campinense é disparado a melhor equipe de futebol do estado – e isso não tem secador que dê jeito.

Leia Também