João Pessoa, 05 de abril de 2016 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
TRAGÉDIA

Explosão deixa mortos e feridos no Subúrbio do Rio de Janeiro

Comentários:
publicado em 05/04/2016 às 10h00
atualizado em 05/04/2016 às 10h02
 Pelo menos cinco pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas na explosão de um prédio em Fazenda Botafogo, no Subúrbio do Rio, na madrugada desta terça-feira (5). Ao todo, 18 pessoas foram atingidas pela explosão. O acidente aconteceu na Rua Omar Fontoura, perto da Rua Pedro Jório. De acordo com a Defesa Civil, a explosão pode ter sido provocada pelo vazamento de uma tubulação da Companhia Estadual de Gás (CEG).

Bombeiros do quartel de Irajá atuam no local, com apoio de ambulâncias dos quartéis de Campinho, Parada de Lucas, Guadalupe e Ricardo de Albuquerque. Segundo informações dos agentes, a explosão teria ocorrido no primeiro andar de um prédio do conjunto habitacional.

Segundo a Defesa Civil, apesar dos danos, o prédio não corre o risco de desabamento. “Todo o piso do primeiro pavimento acabou afundando, porque são módulos preenchidos por painéis, paredes e lajes e que, no primeiro pavimento de algumas unidades, veio a se romper e afundar. O afastamento de algumas colunas não está caracterizando, nesse momento, um risco para o prédio desabar, então essa possibilidade nós já descartamos”, afirmou Motta.

Famílias desabrigadas
Apesar do desabamento ter sido descartado, os moradores deste prédio precisarão ficar fora de casa até que a Defesa Civil faça toda a avaliação estrutural e reparos necessários. Ao todo, 40 famílias estão desalojadas e ficarão em hotel custeado pela prefeitura do Rio. O prédio tem cinco andares, oito apartamentos por andar, e cerca de seis unidades tiveram seu piso afundado.

Moradores do local dizem que há cerca de um mês a CEG esteve no local realizando uma vistoria e não identificou nenhum problema. Ainda segundo eles, moradores reclamavam do cheiro de gás com frequência.

“Eles vêm, constatam que não tem nada de anormal aí vai embora. A gente continuava sentindo o cheiro de gás e todo mundo reclamando, todo mundo reclamando. A Ceg vinha usava um produto químico no encanamento normal, constatava que não tinha nada de anormal e ia embora”, afirmou José Airton, que mora no segundo andar do prédio.

Agentes da CEG já estão no local, mas as causas ainda são desconhecidas. Para a empresa, qualquer informação no momento é prematura. “A gente lamenta o que aconteceu, mas não sabe ainda o que aconteceu e qualquer informação seria imprecisa e prematura. Estamos avaliando todos os registros no local  e vamos avaliar um por um e verificar se há denúncias dos moradores (que informaram que o vazamento de gás vem sendo denunciado há um ano)”, afirmou Cristiane Delart, gerente de gestão da companhia.

Os feridos estão sendo levados para os hospitais Carlos Chagas, em Marechal Hermes, Getúlio Vargas, na Penha e Albert Schweitzer, em Realengo.

O imóvel fica próximo da Avenida Brasil, altura do número 19.972, perto da passarela 28. Na área do entorno do prédio mais atingido há muitos escombros. As janelas de todos os apartamentos quebraram.

G1

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também