João Pessoa, 24 de fevereiro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O outro lado da exoneração

Comentários:
publicado em 11/03/2011 às 07h56

A propósito da comentada exoneração, a pedido, do secretário de Saúde do Estado, Mário Toscano, a coluna recebeu de uma fonte merecedora de crédito informação completamente divergente da versão apresentada neste espaço.

De acordo com o relato, Mário Toscano, que já vinha numa rotina desgastante, despachou centenas de processos da Secretaria em pleno sábado de carnaval. No começo da noite do domingo, o então secretário procurou o governador Ricardo Coutinho a quem pediu uma conversa particular.

Comunicou ao governador a impossibilidade de permanecer no cargo devido ao agravamento de seu quadro de hipertensão. Para substanciar o pedido de demissão, Mário entregou nas mãos de Ricardo exames feitos no mesmo dia. A imagem mostrava a aorta de Toscano dilatada, o que indicava complicações de saúde.

A mesma fonte assegurou que Mário Toscano e o governador dividem uma amizade franca e aberta e que por isso não seria necessária a fabricação de uma doença para justificar uma demissão e nem o médico teria precisão de criar um subterfúgio para deixar o Governo.

Particularmente, depois desse novo dado, não duvido que Toscano realmente tenha adoecido e necessitado se livrar do peso e pressão peculiares à função de secretário, porém mantenho a crença que a interferência de terceiros influenciou na decisão. Talvez com intensidade inferior ao grau levantado por este colunista. A escolha do substituto poderá medir qual fator teve mais peso. Aguardemos.

Vai – Se cumprir a promessa de anunciar hoje o seu destino político, o vereador Hervázio Bezerra (PSDB) comunicará a decisão de renunciar e tomar posse na Assembléia.

Esperança – O suplente Raoni Mendes (PDT) aposta que o colega aceitará ser deputado. Mais do que uma convicção, ele torce pelo êxito da operação. Vai ganhar assento definitivo na Casa.

Manoel Júnior, a atuação e a contestação a Luciano – Em entrevista ontem ao Correio Debate (rádio), o deputado federal Manoel Júnior contestou a acusação de fraca atuação na liberação de verbas em favor de João Pessoa. Garantiu que a soma dos recursos destinados à Capital supera a marca dos R$ 56 milhões. Dessa vez, evitou radicalizar o discurso contra o prefeito Luciano Agra (PSB).

Agra, a Cagepa e a agência reguladora – Agra desmistificou a hipótese de solicitar a municipalização dos serviços de água e esgotos de João Pessoa. Admitiu, entretanto, implantar uma agência reguladora para disciplinar as ações da Cagepa na cidade. “Isso não é querer operacionalizar o serviço”.

A politização – Luciano também voltou a falar na polêmica do Aeroclube do Bessa. O socialista lamentou a politização da desapropriação e atribuiu o fato “aos interesses contrariados de gente poderosa”. Citou o envolvimento dos advogados de Maranhão na causa.

Perpetuação – O vice-governador Rômulo Gouveia lidera a tese de manutenção da aliança PSDB e PSB em 2012. “O PSDB está muito bem representado no Governo de Ricardo”.

O motivo – A propósito dos boatos de iminente rompimento entre Cássio e Ricardo, um observador atento registra: quem deseja o fim da aliança são os cassistas que disseminam intrigas.

Domicílio – A candidatura de Trócolli Júnior (PMDB) a prefeito de Cabedelo é pra valer. O deputado já procura um imóvel para fixar residência na cidade onde morou por cinco anos.

Novo gás – Irriquieto, Trócolli voltou a defender oxigenação na direção estadual do PMDB, mas sugeriu o nome do ex-governador José Maranhão na presidência de honra do partido.

Me chama – O vereador pessoense Fernando Milanez (PMDB) deixou escapar ao repórter Écliton Monteiro, da Correio Sat. “Ficaria muito feliz se fosse convidado para se filiar ao PSC”.

Braços abertos – Quem entrou na briga pelos passes de Milanez e Eliza Virgínia foi o PR. “O coração do PR é grande e há espaço para os dois vereadores”, disse o deputado Caio Roberto.

Terrorismo – O clima esquentou em Salgado de São Félix. Dois filhos do vereador Mário Romero (DEM) teriam agredido o filho do vereador Luís Neves (PTB), adversário do prefeito.

Ameaça – Não satisfeitos com a troca de agressões, os filhos do aliado do prefeito teriam ido até a residência do rival para fazer ameaças mais pesadas. Por pouco não houve uma tragédia.

Pauta – Em reunião com o governador, os vereadores da Oposição de Campina Grande pediram obras de infraestrutura e apoio cultural para a cidade. Juram que nada mais pleitearam.

Ainda tem fé – O ex-deputado Dinaldo Wanderley (PSDB) se reuniu ontem com seus advogados na Capital. Quis saber novidades da tramitação do seu recurso no TSE.

PINGO QUENTE “É hora de acabar com essa história de brigar pela vice”. Do deputado Frei Anastácio rogando que o PT deixe de ser escada de outras legendas, como fez em 2010, inclusive com o aval do religioso.