João Pessoa, 24 de fevereiro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Desafios dos prefeitáveis

Comentários:
publicado em 20/03/2011 às 11h18

Salvo algum desvio de percurso ou mudança substancial, perfeitamente possível em se tratando de política na Paraíba, Luciano Agra (PSB), Manoel Júnior (PMDB) e Cícero Lucena (PSDB) devem ser os nomes que travarão o jogo da disputa no tabuleiro da eleição para prefeito de João Pessoa.

Os três têm desafios e superações pessoais a enfrentar se quiserem vencer o pleito numa cidade caracterizada por abrigar pensamentos, sentimentos e costumes oriundos dos mais diversos pontos deste Estado. João Pessoa é uma cidade diferente e essa peculiaridade deve ser observada com atenção pelos futuros candidatos.

Favorito até por questões naturais e da conjuntura política, o prefeito Luciano Agra precisa superar a própria limitação pessoal. Por não ser figura carimbada, passa a impressão de credibilidade ao eleitor, mas enfrenta dificuldades de retórica. Tem que massificar a imagem pessoal na mesma proporção da aprovação popular de sua gestão.

O senador Cícero Lucena terá que derrubar primeiro o isolamento partidário e o processo de emagrecimento de sua base. Não pode achar que somente a primeira secretaria do Senado lhe dará combustível político para superar e diminuir os índices de rejeição. Se quiser influenciar o processo, precisa se reconstruir perante o eleitorado.

Já Manoel Júnior tem na aceitação histórica do PMDB em João Pessoa um dos trunfos. Pela própria musculatura partidária tende a polarizar a disputa com o bloco que derrotou seu grupo. No entanto, terá que se repaginar. O “estilo metralhadora” não acerta o alvo do eleitor pessoense que é mais sensível ao debate e as propostas.

Vai ficando – Quem acompanha aposta. Substituto de Mário Toscano, o interino Valdson Sousa está surpreendendo na Secretaria de Saúde. Subiu a cotação de sua manutenção no cargo.

Pelo cano – Prefeito do Sertão arquiteta programa de pagamento de contas de água para os munícipes, um ano antes do pleito. Quando a Justiça for avisada a idéia pode fazer água.

Bastidores da eleição e a doação que não chegou – No auge do primeiro turno da eleição para o Governo da Paraíba, providencial doação enviada direto do Rio de Janeiro não chegou às mãos do destinatário. A pessoa encarregada de repassar a bagatela achou que o dinheiro aquela altura não mudaria o quadro. Por puro zelo e previdência, preferiu guardar a quantia. Na própria conta.

Criatividade – O prefeito de Santa Rita, Marcus Odilon (PMDB), mantém o estilo impagável. Resolveu homenagear a imprensa dando nomes de jornais e revistas a todas as ruas de um dos bairros da cidade. Uma delas passou a ser chamada de Correio da Paraíba.

Fim da reeleição – O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP) não crê muito na seriedade de algumas propostas contidas na reforma política. Acha estranho, por exemplo, que o delicado tema do fim da reeleição seja colocado logo na lista de prioridade das discussões.

Olho gordo – Paraibano que ocupava cargo federal no Governo Dilma andou super dimensionando o valor de alguns produtos e terminou pagando um preço caro. Ficou desabastecido.

Poder travado – Já não estaria na hora do presidente da Assembléia, Ricardo Marcelo (PSDB), acabar com a delonga da indefinição das comissões. Daqui a pouco chega o próximo recesso.

A lista – A Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça quer fazer um raio-X da lista dos ocupantes de cargos comissionados e dos contemplados com funções gratificadas.

Resolução – A direção da ASTAJ quer verificar o cumprimento de resolução do CNJ, que reserva 50% dos cargos comissionados para servidores técnicos de carreira.

McLanche Feliz – Após denúncia de compra de bebida alcoólica com dinheiro público, a prefeita de Piancó, Flávio Galdino, é acusada de usar o erário para pagar lanches no McDonalds.

Análise – O cientista político da UFPB, Flávio Lúcio Rodrigues, o preferido de Rubens Nóbrega, lança em abril livro com coletânea de artigos publicados no blog Pensamento Múltiplo.

Emprego – A deputada Chica Motta (PMDB) apresentou projeto obrigando as empresas que recebem incentivos do Governo a reservar vagas para candidatos ao primeiro emprego.

Sina – Se já vive o dilema de não ter prefeito eleito, agora Itapororoca vai passar 15 dias sem o que lhe resta. O interino Erilson Rodrigues (PR) anuncia licença para tratar da saúde.

Educativa – A TV UFPB prepara programação para operar em canal aberto. A emissora vai retransmitir a TV Brasil. A informação é da diretora do Pólo Multimídia, Sandra Moura.

Força – É comovente a luta inconsciente que Shaolin trava para viver. Há dois meses na UTI, o nosso ilustre humorista só depende do próprio organismo para acordar. E de Deus.

PINGO QUENTE – “Estou insatisfeito é comigo mesmo”. Do vice-prefeito de Campina, Zé Luiz, “cansado de ser escada para outras lideranças políticas”.

Reprodução do Correio da Paraíba