João Pessoa, 19 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A sacada do Governo

Comentários:
publicado em 23/03/2011 às 07h44

Quando noticiei em primeira mão na coluna que o governador Ricardo Coutinho se preparava para anunciar um programa cuja substância daria ao projeto força de “carro-chefe” dos 100 dias do Governo, ainda não conhecia o teor da proposta e por isso não tinha projeção real do alcance da iniciativa.

A idéia de oferecer a todos os paraibanos, sem distinção, a oportunidade de viajar para qualquer recanto deste Estado pagando no segundo trecho da viagem apenas a metade do valor da passagem é simples, praticamente sem custos ao erário, mas de uma repercussão enorme na vida de milhares de cidadãos.

Não são poucas as pessoas que viajam semanalmente do Sertão para João Pessoa, por exemplo. Muitas delas saem de municípios como Uiraúna, Conceição e São José de Piranhas até as cidades-pólo mais próximas. De lá, seguem até o destino final.

A maior parte desse público não faz deslocamentos por turismo, mas por absoluta necessidade e precisão. É gente que deixa a paz do lar em busca do socorro de centros mais avançados para tratamento de saúde. É gente que procura oportunidade de serviço para juntar o dinheiro da feira do final do mês.

A iniciativa só não faz diferença para quem tem a sorte e o conforto do carro próprio. Essa ‘sacada’ do Governo quebra o surrado paradigma que reverencia apenas as obras faraônicas. Nas pequenas coisas se escondem grandes alternativas. Basta um pouquinho de boa vontade para enxergar mais. E melhor.

Mico – Quando Dom Aldo era apresentado no Seminário das Águas, ontem, eis que o bendito data-show dispara em alto som a mensagem: “uma ameaça detectada”. Riso geral.

À milanesa – O que conversavam ontem em restaurante bem freqüentado pelo coletivo girassol em mesa reservada e aos risos os vereadores Bira Pereira (PSB) e Fernando Milanez?

A retomada das estradas – Informação do superintendente do DER, Carlos Pereira. No próximo mês, o governador Ricardo Coutinho anuncia a retomada de algumas e início de outras construções de estradas. Na primeira etapa, o Governo investirá R$ 19 milhões, resultado do convênio com a Corporação Andina, negociado por Cássio e assinado por Maranhão.

Ordem de serviço – Outro dado de Carlos Pereira. Das 45 obras programadas no convênio com a Corporação Andina, todas receberam ordem de serviço do governo passado, mas poucas viraram asfalto. A maioria ficou só na poeira da campanha.

DNIT cobra crédito na placa – A direção estadual do DNIT lançou nota ontem à tarde reivindicando da Prefeitura de João Pessoa o crédito pela autorização da instalação de passarelas na BR-230, “informação esta que não consta em nenhuma das placas de obra”.

Deslize e… – O deputado Júlio Campos (DEM-MT) pegou pesado e foi extremamente infeliz ao criticar a eficácia do foro privilegiado citando a renúncia de Ronaldo Cunha Lima.

…Preconceito – “Ronaldo precisou ter a coragem de renunciar para não sair daqui algemado, e, depois, você cai nas mãos daquele moreno escuro lá no Supremo, Aí, já viu”. Sem comentário.

Gentilezas I – Eliza Virgínia deixou o PPS, mas os conflitos com o ex-colega Bruno Farias continuam. Ontem, ela acusou o líder do Governo de se comportar como ditador na Câmara.

Gentilezas II – O poeta Bruno Farias esqueceu a métrica dos versos e respondeu logo na prosa: “Eliza não tem estatura democrática para fazer essa acusação. Ela é uma intolerante religiosa”.

Em bloco – O líder do Governo na Assembléia, Lindolfo Pires, confirmou entendimentos com deputados do PMDB e até com o PT. “O PT é diferente porque só adere em bloco”.

Curativo – André Gadelha (PMDB), líder da Oposição, garante precisão na cirurgia de contenção. “A sangria foi estancada. Vamos trilhar uma só linha de pensamento na Assembléia”.

Personalidade – A propósito, André tem tido uma postura corajosa. Lidera o bloco da Oposição sem qualquer constrangimento em defender a mudança de comando no PMDB.

Dilatação – O presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, pediu um prazo de 60 dias para contornar a falta d’água nos bairros de João Pessoa. Daqui a pouco vai faltar mesmo é paciência.

Otimista – Apesar da crise em âmbito nacional no DEM, o ex-senador Efraim Morais planeja elevar para 50 o número de prefeitos da legenda, que até agora só tem perdido quadros.

Omissão – Articulador do Seminário das Águas, o deputado Assis Quintans (DEM) foi duro com o Maranhão III. “Ele não fez nada para preparar o Estado para receber a transposição”.

PINGO QUENTE – “Não confundam civilidade com aproximação política”. Do ex-governador Cássio sobre troca de aperto de mão com José Maranhão no aeroporto Castro Pinto.


Leia Também