João Pessoa, 16 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Máfia nos DCE’s

Comentários:
publicado em 30/03/2011 às 08h30

Recebo telefonema de aluno de destacada instituição de ensino superior de João Pessoa. Do outro lado da linha, o rapaz, que prefere não se identificar, passa a relatar o que existe por baixo dos panos em alguns diretórios centrais de estudantes na cidade.

Pelas informações do aluno, testemunha de processos eleitorais, não é por acaso que determinados grupos se perpetuam no comando desses núcleos de poder. Na maioria dos casos, a luta pelo mandato de presidente está longe da defesa estudantil e perto de interesses bem escusos.

No caso particular da faculdade deste leitor da coluna, o esquema é bem organizado. Os representantes se revezam nos DCE’s, através de laranjas. Estes no pleito seguinte abrem mão dos cargos em favor dos seus “padrinhos”, que se refestelam no controle das regalias e vantagens da função.

O esquema passa pela quota das bolsas do DCE. Geralmente, a instituição concede desconto de 50%. Alguns inescrupulosos dirigentes negociam a doação das concessões em troca de 25% do valor descontado. Assim fazem caixa pessoal e garantem por meios ilícitos a continuidade da algazarra e boemia.

 As operações são tão organizadas ao ponto de inviabilizar qualquer foco de resistência. E o pior: as ‘gangues’ têm aval branco de instâncias superiores das entidades. Em troca da conivência, cobram uma fatura: a anuência total dos diretórios centrais a cada reajuste das mensalidades. Um caso de polícia. E de Ministério Público.

Audiência – Surpreendeu até os mais céticos a presença ontem de gabaritado político da Oposição no sexto e estratégico andar do Centro Administrativo Estadual, no bucólico Jaguaribe.

Pavimentando – Enquanto os burburinhos e especulações rolam na cidade, o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), anuncia asfaltamento de 18 corredores.

Decisão própria? – O vice-governador Rômulo Gouveia reafirmou ontem a impossibilidade de convivência com o senador Cícero Lucena no PSDB. Sobre as pressões de Cássio Cunha Lima para impedir a transferência do ninho tucano para o novato PSD, o gordinho foi peremptório: “Vou ouvir Cássio e outras pessoas, mas a decisão será minha”.

O desconto da OAB – A Ordem dos Advogados do Brasil lembra aos militantes da categoria que a anuidade de 2011 poderá ser paga com mais de 26% de desconto até a próxima quinta-feira. A concessão está prevista nos dispositivos da resolução nº 12/GP/2010.

Os números de Santa Rita – A pesquisa do Instituto Opinião mexeu com Santa Rita. Por enquanto, o vereador Adones Júnior e o suplente de deputado Reginaldo Pereira polarizam as intenções de voto. Humberto Alexandre reclama da não inclusão de seu nome entre as opções.

Frescura – O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) desistiu de entrevista no Correio Debate (rádio), ontem, somente porque foi apresentado como ex-BBB. Desligou o telefone chateado.

Vai para o plenário – Pelo menos na Comissão de Orçamento, o Governo foi derrotado ontem no projeto de remanejamento de verbas da reconstrução de Camará para o Centro de Convenções.

As coisas por aqui – Aliás, na Paraíba tudo é mal explicado. Quer dizer que alguém constrói uma barragem, ela rompe em pouco tempo, o contribuinte tem que pagar a conta cara da reconstrução…

Brancas nuvens – … E apesar dos indícios de irresponsabilidade ou negligência, ninguém sofreu até agora severa punição pelo desastre que matou famílias e arruinou proprietários de terras?

Massa fina – O deputado Trócolli Júnior discorda de quem achou que a reunião do PMDB sábado terminou em pizza. “O partido reconheceu a necessidade de maior diálogo com todos”.

Cochilo – A bancada governista da Câmara de João Pessoa vacilou e a diminuta Oposição conseguiu emplacar no bolo de requerimentos a convocação da secretária Ariane Sá.

Atenção – O vereador Tavinho Santos (PTB) ficou irado com os protestos do bloco do prefeito, que queria rever a votação. “Eles deviam ter mais atenção com interesses do Governo”.

Dois pesos… – Bruno Farias (PPS), líder do Governo, deu o troco. “Ele é diligente com os preceitos do Regimento e desleixado para cumprir as normas da formação das comissões da Casa”.

Expansão – Se os adversários dormirem, o deputado Branco Mendes (DEM) pode fundar o reino unido do litoral sul. Quer ser prefeito do Conde e eleger a esposa em Alhandra.

Na parada – Já Aníbal Marcolino (PSL) resolveu entrar na concorrência em João Pessoa. Vai reunir pré-candidatos a vereadores para definir estratégias. Pelo menos coragem não lhe falta.

PINGO QUENTE – “Não voto nessa matéria nem com revólver no meu ouvido”. Radicalização do deputado Frei Anastácio (PT) contra remanejamento de verbas da reconstrução de Camará.

Reprodução do Correio da Paraíba

Leia Também