João Pessoa, 19 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Sobre trânsito e transporte público

Comentários:
publicado em 26/04/2011 às 06h56

São muitas as matérias publicadas sobre “trânsito e transporte público”. É o Brasil todo que tem se debruçado nesse tema, tal o problema de trânsito que tem levado a grandes e demorados congestionamentos nas cidades.

Brasília, nosso Distrito Federal, completou quinta-feira passada, dia 21, seus só 51 anos de vida, vez que foi inaugurada em 1960, caracterizando-se, portanto, como a mais recente cidade brasileira precedida de pleno planejamento. E seu trânsito já está um caos!

Curitiba/PR é outra cidade que nasceu precedida de um planejamento urbano. E teve a vantagem de seus governantes desde cedo efetivamente priorizarem o transporte público. Em 1974 o então prefeito Jaime Lerner já inaugurava o sistema de ônibus que denominou de “expresso”, porque a esse sistema conferia faixas exclusivas para seus percursos. E já em 1976, Curitiba inaugurava sua primeira via exclusiva (via, repetimos, e não só faixa!) para esse mesmo sistema de ônibus.

Entretanto, todos quantos visitam Curitiba sabem que “nem tudo são flores”. Sabemos que o transporte público curitibano não é todo de “via exclusiva” nem todo de “estações-tubos”. E sabemos, também, que nas vias em que os ônibus misturam-se e disputam espaço com os demais veículos, nessa parte o transporte público curitibano sofre os mesmíssimos problemas do trânsito com seus congestionamentos, consequentemente atrasando as viagens. Quem vai a Curitiba sabe quanto demorado está, em horário comercial, sair do aeroporto e chegar ao centro da cidade!…

Essas referências a Brasília e Curitiba vêm a propósito das matérias sobre o trânsito de João Pessoa, que, vez por outra, concluem dizendo que o excesso de veículos (com uso individual) nas ruas pessoenses dar-se-ia pela “precariedade do transporte público”. E não é assim. O transporte público de João Pessoa tem a aprovação de 82% de sua população!

Entretanto, enquanto o transporte público, em qualquer cidade, estiver disputando seus percursos com os demais veículos e não contar com vias ou faixas exclusivas, o resultado é que não cumpra os horários de algumas viagens, item este mais reclamado pelos passageiros. Mas, como noticiado neste final de semana, a Prefeitura de João Pessoa já tem seus projetos para estabelecer percursos exclusivos do transporte público. Além disso, considere-se que em lugar nenhum do mundo os automóveis foram diminuídos só em função de um transporte público eficiente, não! São outras causas, a partir de proibições de tráfego em algumas áreas e elevados custos de estacionamento que fazem “europeus” deixar o automóvel em casa e mais só usá-lo em fins de semana.
 

Leia Também