João Pessoa, 14 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Perdeu o discurso

Comentários:
publicado em 05/05/2011 às 08h17

É até legítima do ponto de vista do Direito, mas a insistência do ainda senador Wilson Santiago em se manter a todo custo no cargo, mesmo que todos os recursos eficazes já tenham se exaurido, pode arranhá-lo diante da opinião pública.

Ora, os advogados de Santiago usaram durante o curso da eleição a tese da Ficha Limpa para atacar política e judicialmente o então candidato Cássio. Agora que o dispositivo caiu para 2010 e que até o ministro Joaquim Barbosa se rendeu a decisão da maioria, aparecem os juristas de Santiago com novos “argumentos”.

A defesa dele invoca a alínea “J” da Lei das Inelegibilidades, que prevê impossibilidade de candidatura a cargo eletivo do agente político cassado por conduta vedada, pelo prazo de oito anos a contar da cassação. Nada disso foi alegado antes.

Na prática, resta apenas a Wilson procrastinar os dias de sua permanência no Senado, onde foi empossado, diga-se de passagem, por determinação da Justiça Eleitoral. Santiago até ali não brigava por um mandato ilegítimo, mas sim por uma vaga concedida pelo entendimento vigente do Judiciário.

Só que o STF reformou a posição e mudou tudo. Caberia a grandeza de aceitar o veredicto. Afinal, foi nessa mesma Justiça que Santiago se agarrou para se livrar da acusação de usurpador dos votos da maioria. Perdeu o discurso da legalidade. Se não cuidar, vai carimbar a imagem de político que não se dobra a vontade do povo. E nem da Justiça.

É o que resta – Com remotas chances na Justiça, o advogado Michel Saliba deu a pista. Lembrou que a posse no Senado é uma prerrogativa da Mesa Diretora, da qual Sarney é presidente.

Semeadura – “No mundo espiritual as coisas funcionam com efeito bumerangue. O que Wilson fez na campanha contra Cássio está colhendo agora”. Do advogado cassista Luciano Pires.

A queda de Santiago e a “força” do PMDB – Se esperava um ombro amigo dos colegas do PMDB, Santiago ficou frustrado. Na Assembléia, Trócolli Júnior saudou a chegada no Senado de um homem com “densidade eleitoral”. Na Câmara de João Pessoa, Fernando Milanez deu o tiro de misericórdia. “Cássio tem mais cancha que Wilson”. Inauguraram a “bazuca” amiga.

Ninguém é de ferro – Aliás, Wilson Santiago não teve condições emocionais de comparecer a reunião com a bancada federal anteontem no seu gabinete em Brasília. Também pudera. Horas antes fora avisado do despacho fulminante de Joaquim Barbosa em prol de Cássio.

Muda o tom – A decisão de Joaquim Barbosa obrigou o ex-governador Cássio Cunha Lima a refazer sua agenda. A reunião programada com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, foi adiada. Na próxima data, o encontro não será o mesmo. Cássio também não!

Saber perder – “Era importante que ele soubesse perder. Ele já perdeu na urna e agora na Justiça”. De Cássio, condenando o que chamou de intenção procrastinatória de Santiago.

Como superar? – Indiferente a todo o redemoinho, Santiago integrou comitiva que visitou a Embaixada do Japão. Foi aprender com os japoneses como se reerguer de um tsunami.

Dívida – A novidade fechada no Pacto pela Paraíba é a inclusão do pedido de rolagem da dívida do Estado à presidente Dilma Roussef, em audiência a ser marcada pelo Planalto.

Pra somar – Nonato Bandeira ganha reforço qualitativo na Comunicação. A nova adjunta, Lívia Karol Araújo, leva a experiência da SecomJP. “Chego pra somar com o que aprendi”.

A vez de Marly – O prefeito Luciano Agra preencheu a vaga de Lívia Karol com a prodigiosa jornalista Marly Lúcio, ex-repórter e editora do caderno de política do Correio da Paraíba.

Funcionando – Apesar da greve do Sindicato dos Professores, 70% das escolas estaduais continuam em funcionamento normal. A informação é do secretário Afonso Scocuglia.

Assoberbado – Liderança do Governo. Comissão de Orçamento e Corregedoria. E agora assuntos internacionais do PMDB. Onde Vitalzinho arranja tempo pra tudo isso?

Sorriso – Odontólogo, o deputado Benjamin Maranhão (PMDB) quer levar unidades do “Brasil Sorridente” para atendimento de saúde bucal nas cidades do interior paraibano.

Pronta pra sabatina – A secretária de Educação, Ariane Sá, confirmou presença hoje em sessão na Câmara de João Pessoa. Será a segunda vez em 15 dias que Ariane comparece a Casa.

Extra – O Governo do Estado paga hoje folha extra, referente ao mês de abril. Cerca de 170 prestadores de serviço vão receber, segundo informou o secretário Gilberto Carneiro.

PINGO QUENTE – “Ele devia guardar um tempo pra descansar e pensar nas próximas eleições”. Sugestão da vereadora Raíssa Lacerda (DEM), cassista de carteirinha, a Wilson Santiago.

Leia Também