João Pessoa, 25 de fevereiro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O estágio de Ricardo

Comentários:
publicado em 16/06/2011 às 08h35

Apesar da fase inicial marcada por conflitos com o servidor e enfrentamento com setores mais radicais da Oposição, o governador Ricardo Coutinho está chegando ao segundo semestre de seu Governo satisfeito com o estágio construído.

Em conversa aberta, Ricardo mostra absoluta consciência de ter acertado na decisão de tocar a primeira etapa do Governo dando seqüência a obras dos seus antecessores, antes de partir para as ações do seu próprio programa de gestão.

Cumprida essa meta inicial, o governador acha que paralelamente conseguiu engatilhar as peças no tabuleiro, via equilíbrio financeiro, formatação de projetos e garimpagem direta ao ouro do Governo Federal.

Agora, pensa Ricardo, chegou a hora de mexer nas pedras e vencer de uma vez as dificuldades registradas no começo conturbado da gestão. “Pegamos várias bombas de efeito retardado”, raciocina o socialista, considerando essa fase superada.

Adubado o terreno, Ricardo projeta iniciar plantação de várias sementes, especialmente na infra-estrutura hídrica e de estradas, no fomento ao emprego e no enxerto orçamentário que dê ao Estado capacidade própria de investimento.

O governador tomou para si a missão de ser o condutor do processo urgente e necessário de recuperar o tempo que a Paraíba perdeu e ressarcir o preço que o paraibano pagou pela eterna disputa política que só nos afundou no poço do atraso.

Conexão –
Indiferentes aos boatos de distanciamento, o governador Ricardo Coutinho e o ex-Cássio Cunha Lima embarcaram juntos à Brasília. Sem registro de trepidações.

Solidariedade –
“Essa peleja não é só de Cássio. Ela é da maioria do povo paraibano”. De Ricardo sobre a demora da posse de Cássio e adiamento do julgamento dos agravos no STF.

Investimento privado, benefício público –
A Paraíba pode receber já na próxima semana a notícia da chegada de uma grande indústria. A perspectiva foi aberta pelo próprio governador Ricardo Coutinho durante entrevista ontem ao Correio Debate (rádio). Os entendimentos foram mantidos e Ricardo aguarda apenas o fechamento do negócio. “Está bem encaminhado”.

Aumenta tudo –
Se a Câmara aprovou a elevação de 21 para 27 vereadores, certamente a Mesa Diretora está preparando ampliação do plenário, que mal cabe o atual número de parlamentares, construção de novos gabinetes e garantiu incremento no duodécimo. Ou não?

Matando a prestação –
A leitora Milena Câmara (milenastar@ig.com.br) denuncia um chiqueiro que emporcalha a Rua Fernando Cunha Lima, em Cruz das Armas. A fedentina só perde para a demora de providências por parte da Vigilância Sanitária de João Pessoa.

Na berlinda –
A depender do saldo da reunião agendada para ontem, às 17h, graduado auxiliar de importante cidade paraibana deve se queimar antes da fogueira de São Pedro.

Quero, quero –
O vereador Fernando Milanez (PMDB) contacta à coluna para dizer que nada tem contra a candidatura de Manoel Júnior. “Apenas o que ele quer, eu quero”.

Renunciou –
Após um profundo suspiro, Milanez mandou essa: “Ele já teve chance de ser prefeito, quando foi vice de Ricardo e preferiu renunciar o cargo para ser federal”.

Incêndio amigo –
Lembra daquela denúncia do gari da Emlur? Você acreditaria se alguém dissesse que tudo partiu do braço direito de um secretário da Prefeitura? Nem Agra.

Bola fora –
O script moralista adotado pelo deputado Aníbal Marcolino (PSL) não combinou muito com a tentativa de desagravar a eterna presidente da FPF, Rosilene Gomes.

Reconhecimento –
O juiz Aluízio Bezerra Filho, da 6ª Vara da Fazenda, atuará durante os meses de julho e agosto no TJ em substituição ao desembargador Saulo de Sá Benevides.

Encontro –
O secretário nacional do PSB, Carlos Siqueira, é presença confirmada no debate sobre reforma política a ser realizado sábado, no Hotel Tambaú, pelo PSB da Paraíba.

Carga –
O Porto de Cabedelo conseguiu superar abril e atingiu no mês passado o tráfego de 185 mil toneladas de cargas. A maior marca em 72 anos de história do Porto.

Acabou a paciência –
Nem só de brecha na legislação vive a lentidão do Judiciário. Sem juízes e promotores nas audiências, advogados de Sousa protestam segunda-feira contra o descaso.

Isca  –
Causou surpresa no PT a notícia de que o deputado Hugo Motta (PMDB) jogou anzol reforçado na disputa pela indicação da secretaria federal da Pesca na Paraíba.

PINGO QUENTE – “Quem anda para trás é caranguejo”. Do governador Ricardo Coutinho, para quem chegou a hora da Paraíba superar as brigas do passado e andar pra frente.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também