João Pessoa, 19 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O moído do terreno

Comentários:
publicado em 21/06/2011 às 07h37
A- A+

A Polícia da Paraíba merece uma nova e mais estruturada Academia? Sim. Já está na hora da combalida e vergonhosa Central de Polícia sair das atuais condições precárias e ganhar sede digna? Claro. Faz tempo que o nosso IPC deveria ter saído do Cristo Redentor? Sem dúvidas.

Pelo que foi defendido ontem pelo líder Lindolfo Pires (DEM), a permuta dos terrenos do Geisel e Mangabeira traz vantagens ao erário. A sociedade ganha importantes equipamentos de segurança, sem ônus para o Estado. Esse é um ponto.

Outro. Com a operação, o Governo ajuda a viabilizar vultoso investimento privado na zona sul de João Pessoa, região que será catapultada com a provável chegada de um shopping center. Só a iniciativa privada tem potencial para oferecer ampla possibilidade de geração de emprego e renda naquela área.

Em todos estes aspectos, o Governo vence o novo embate que a Oposição elegeu para tentar desgastar a gestão neste final de mês. Mas, apesar do bom mérito da permuta proposta, o Governo peca mais uma vez tão somente pela forma e não pelo conteúdo.

Se a gestão não enviou à Assembléia detalhes da avaliação imobiliária dos terrenos, não especificou se já há projetos e os respectivos valores para a construção das novas Acadepol, IPC e Central, como diz a Oposição, por falta de cuidado ou pressa o Governo conseguiu a proeza de transformar boa notícia em mote para os adversários.

Sorte grande –
Empreendedor e vitorioso nos negócios, o empresário Roberto Santiago carrega outro atributo que lhe distingue do paraibano comum: é um homem de muita sorte.

Subestimando –
“Será que o Governo acha que só têm moleques aqui”. Brado do líder da Oposição, André Gadelha (PMDB), contra a “pressa” na tramitação da permuta.

Os ‘queixosos’ saem em defesa do Governo –
Enquanto a Oposição se revezava em ríspidos pronunciamentos contra o projeto dos terrenos, a maioria dos governistas silenciou. Os deputados tidos como insatisfeitos surpreenderam e fizeram a defesa. Antônio Mineral (PSDB) e Zé Aldemir (DEM) reclamaram da antecipação. “Nem está na pauta”, criticou Aldemir.

Sem orçamento para IPC, Acadepol e Central –
O líder Lindolfo Pires (DEM) deu dado significativo para justificar a vantagem da permuta. Segundo o democrata, ainda que queira o Governo não pode construir com recursos próprios na Segurança. No orçamento deste ano, não há dotação para tal.

Transparência e caráter público –
O mais ferrenho discurso contra a troca dos terrenos saiu da boca do deputado Luciano Cartaxo (PT), na tribuna da Assembléia, ontem à tarde. O petista questionou a transparência do “Governo que se elegeu para recuperar o caráter público”.

Expectativa –
A nova edição da Revista Politika divulga hoje pesquisa para prefeito nos oito maiores municípios do Estado. O resultado em João Pessoa traz algumas surpresas.

Aprovação –
Pesquisa encomendada pelo presidente da Assembléia, Ricardo Marcelo, aferiu a avaliação do Governo. Os números amansaram alguns rebeldes deputados.

Paradoxos –
É difícil explicar ao cidadão que a Justiça leiloará bens dos envolvidos na Gasparzinho, adquiridos de forma ilegal, mas os autores da ilegalidade já estão soltos.

Faça o que eu digo… –
O PT fez aliança em 2008 com PSDB e DEM em 52 municípios. Prática bem diferente do discurso usado pela direção para “fugir” da aliança com o PSB em 2010.

Excesso –
A empolgação levou o prefeito Luciano Agra (PSB) a exagerar na dose ao dizer que está preocupado em daqui a pouco não ter mais nem Oposição na Câmara.

Na terra natal –
O presidente do PSB, Edvaldo Rosas, tem uma meta espinhosa. Quer bater o ex-governador Maranhão em Araruna elegendo o ex-prefeito Avaíldo Azevedo.

Coincidência  –
Os concursos públicos vão fazendo a alegria dos gestores. Em Mamanguape, o chefe de gabinete passou em 1º lugar e a mãe do prefeito ficou na 4ª colocação.

Eficiência –
O certame ainda registrou a aprovação de um eficiente sobrinho do prefeito Eduardo Carneiro. Ah! O assessor de comunicação passou logo para duas funções.

Segundo passo –
Licenciado do cargo, o procurador geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro, já cai em campo hoje. “O primeiro passo era a estruturação, mas ainda temos muito a fazer”.

Mote socialista –
Seguindo a linha do Governo, o prefeito Agra antecipa hoje a metade do décimo, incluindo os prestadores de serviço, que recebem pela primeira vez.

PINGO QUENTE – “Nós não somos subservientes”. Do vereador Geraldo Amorim (PDT), diferenciando o bloco Independente e deixando em maus lençóis os colegas governistas.

 

Leia Também