João Pessoa, 23 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A leitura de Guilherme

Comentários:
publicado em 27/06/2011 às 15h48
A- A+

Contemporâneo por dois mandatos na Câmara Municipal e auxiliar na Prefeitura, o deputado Guilherme Almeida (PSC) tem pontos comuns com o prefeito Veneziano Vital (PMDB), além do parentesco que lhes dão laços familiares.

Em tese, o histórico e as ligações credenciam Guilherme a reivindicar o apoio preferencial do grupo do prefeito nas eleições de 2012, ano no qual o parlamentar pretende se submeter ao teste das urnas na sucessão municipal campinense.

Apesar das “prerrogativas”, ele está consciente que a estratégia do clã Vital pode passar por outros ingredientes. Por isso, não perde tempo e corre atrás do que considera essencial para jogar nesse xadrez: a própria viabilização eleitoral.

Ao colunista, o deputado revelou planos para o segundo semestre de 2011. Alimentar as bases, prospectar apoios, fomentar pré-candidatos a vereadores e ter uma conversa aberta com Veneziano. Quer ao menos o aval para seguir em frente.

De fala comedida, Guilherme demonstra conhecer o cenário vindouro. Sabe que internamente sofre concorrência e por tabela terá que dividir holofotes com a ascendente deputada Daniella Ribeiro, agora próxima do prefeito Veneziano.

Pragmático, prega a deflagração de várias candidatura pelo bloco dos Vital, partindo da crença que o grupo Cunha Lima terá apenas uma postulação e que no segundo turno a disputa se afunilará entre os candidatos de Cássio e Vené. E aí reside a aposta de Guilherme: a identificação que julga ter com a bandeira venezianista.

Palavra de ordem – “Só tem um jeito de não ser candidato. Se eu não me viabilizar”. Eis em suma o pensamento atual do deputado Guilherme Almeida sobre o processo.

Reciprocidade – Pelo histórico e parcerias, Guilherme espera ter Veneziano em seu palanque. “Mas não sou egoísta ao ponto de achar que ele tem que ter apenas um candidato”.

Livânia e a missão relâmpago – De volta exclusivamente à Procuradoria-Geral do Estado, Livânia Farias avaliou como excelente a sua rápida passagem pela Secretaria da Administração, em substituição a Gilberto Carneiro, que retoma o posto hoje. “A Secretaria é mais ampla, mas só dei encaminhamento ao que já estava sendo tocado”, disse Livânia à coluna.

A mãozinha do adjunto – Durante pouco mais de 15 dias de acúmulo de funções, Livânia disse não ter se assoberbado de atividades graças à colaboração do seu adjunto, o procurador de carreira Wladimir Romaniuc. “Ele me deu uma grande ajuda nesse período”.

A esperança é São Pedro –
Patos esquentou a revanche do visitante prefeito Veneziano. Em visita à “Morada do Sol”, o peemedebista voltou a alfinetar o governador Ricardo pela falta de apoio ao São João de Campina. Nem a alegria do Santo sensibilizou Vené a virar a página.

Enigma – Investiga-se na ágora tabajara quem foi o novo deputado federal que contratou um detetive para inviabilizar um candidato a deputado estadual.

As pistas – O investigador revelou: o alvo dos serviços era do mesmo partido e o contratante saltou de estadual para federal em 2010. Três nomes se encaixam no perfil.

Por-emails – Mesmo após denúncias do bispo dom José Gonzaléz na imprensa, um anônimo continua ameaçando religiosos de Cajazeiras com mensagens apócrifas.

Brasa acesa – No PSB houve comemoração pelo resultado de pesquisa encomendada para prefeito de Pedras de Fogo, terra do deputado Manoel Júnior (PMDB).

Triunvirato  – O vereador Cariolando Félix propôs acordo aos deputados Ruy Carneiro (PSDB) e Domiciano Cabral (DEM) para 2012. “Domi” ficou de pensar.

Originalidade –
No quesito qualidade, a programação do São João de João Pessoa superou muitas cidades já tarimbadas no circuito das festas juninas.

De Carlos…  –
O prefeito de Cajazeiras, Carlos Rafael, abriu as baterias contra o ex Carlos Antônio, a quem acusou de deixar débitos com Ipam, Cagepa e Energisa.

… Pra Carlos –
Em pleno São João, Rafael desafiou seu rival a um debate sobre dados das gestões. “Ele fugiu. Queria que ele tivesse coragem de debater olho no olho”.

Lenha –
O promotor Cláudio Cavalcanti aproveitou o feriadão para esquentar a fogueira da eleição do MP. Ele é candidato do grupo de Alexandre César.

Jardineiro –
Autor de projeto que obriga a arborização de conjuntos habitacionais, Romero Rodrigues quer mesmo é plantar os pés na Prefeitura de Campina.

PINGO QUENTE – “É uma decisão que dói no coração”. Do vereador Tavinho Santos, admitindo deixar o PTB, em caso de adesão, e se filiar ao PT ou PC do B pra desabrochar seu lado esquerdista.

 

Leia Também