João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Patrimônio ameaçado

Comentários:
publicado em 07/07/2011 às 07h21

A cidade de João Pessoa disparou no setor da construção civil. O processo gera, inegavelmente, renda, emprego e impostos para nossa Capital. Mas todo esse boom do presente não pode engolir nossa referência e patrimônio do passado.

A Avenida Epitácio Pessoa, por exemplo, está prestes a receber um luxuoso empresarial. Até aí, tudo bem. A Epitácio tem vocação para os negócios. O problema é que a edificação será no terreno da Casa Cassiano Ribeiro Coutinho, obra do emblemático arquiteto Acácio Gil Borsoi, ícone da arquitetura modernista no Brasil.

A poderosa construtora Alliance ingressou no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico da Paraíba com pedido de intervenção na Casa, que pela relevância para a Arquitetura do Brasil, foi tombada, por unanimidade, pelo IPHAEP, em 2009, a partir da preocupação de 100 signatários, entre os quais André Cabral Honor.

Quem assinou o documento gerador do tombamento sabe da importância de Borsoi (seguidor de Niemeyer e Lúcio Costa) para a arquitetura brasileira e teve a sensibilidade de perceber a necessidade da preservação da Casa, edificada na década de 50, período de efervescência da arquitetura modernista no nordeste brasileiro.

Aos 100 signatários e tantos outros cidadãos pessoenses preocupados com o destino dos traços de Borsoi resta crer que o Iphaep, guardião do nosso patrimônio, não permitirá que um bem dessa estirpe seja afogado pelo tsunami do poder econômico.

Tombamento –
O Decreto nº 31.843, de 03/12/2010, tem viés de ineditismo. Foi 1º tombamento de uma casa com traços modernistas e uma edificação fora do Centro Histórico.

Assinatura –
O jardim da Casa Cassiano Ribeiro Coutinho, hoje sob o domínio de outro proprietário, é fruto da inteligência do renomado paisagista Roberto Burle Marx.

Trauma e a Cruz Vermelha –
Já estava na hora de uma intervenção mais profunda no modelo de gestão do Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena. A decisão do Governo compartilhar a gestão da unidade com a conceituada Cruz Vermelha deve imprimir seriedade e eficiência nos serviços. Além do mais, o Governo projeta economia de R$ 3 milhões.

Equilíbrio social no Dede –
Moradores do Bairro dos Estados e adjacências querem sensibilizar o Governo a priorizar as vagas da Vila Olímpica Ronaldo Marinho para pessoas carentes da comunidade. Os pobres ficam de fora, enquanto assistem figurões desfrutando primazia.

A Epitácio pode mais –
O “Caminho Livre”, da Prefeitura de João Pessoa, chega em boa hora, mas os motoristas esperavam intervenções mais profundas pelo menos na Epitácio Pessoa. A STTrans anunciou abertura de faixas somente nos trechos de entradas para outras vias.

Pontapé –
Nilton Pereira, superintendente da Strrans, explicou que as seis intervenções anunciadas configuram apenas o começo do plano de mobilidade até 2012.

Pra anotar –
Ortodoxo maranhista, técnico de primeira, aportará em breve no jardim do governo girassol de Ricardo Coutinho. Será o primeiro do abre alas.

Guilhotina –
O vereador Felipe Leitão (PRP) pode pedir aos seus advogados para preparar recurso ao TRE. As provas convenceram o juiz Fabiano Moura.

No front –
Em paz com o PSL, o deputado Aníbal Marcolino continua a guerra contra a permuta da Acadepol. Nesse caso, Aníbal não aceita cachimbo da paz.

Demanda –
Recém-aberto ao público, o Hospital de Trauma de Campina já registra mais de 90% da ocupação dos leitos. Prova da sua importância na Paraíba.

Ausculta –
O PSB de João Pessoa realiza seminário no próximo sábado. “Vou ouvir o que pensam nossos militantes e filiados”, disse o prefeito Luciano Agra.

Substituição –
Na convenção de sábado, novos nomes ingressarão no diretório do PSDB de Campina. Alguns desses serão indicações do deputado Romero Rodrigues.

Articulação –
Na UFPB, está praticamente selada o nome da secretária Cida Ramos na vice da professora Margareth Formiga na sucessão de Polari.

Em off –
O multimídia Fabiano Gomes desliga as baterias e se afasta por dez dias do Correio Debate (rádio) e Correio Manhã (TV) para um check-up.

Cabedelo –
O deputado Trócolli Júnior (PMDB) ainda comemora os 8% na pesquisa Op-Data. “Estou fazendo um estudo para entrar de vez na cidade”.

PINGO QUENTE – “Vai ser de Luciano pra Luciano em João Pessoa”. Do deputado Luciano Cartaxo (PT), empolgado com a pré-candidatura a prefeito da Capital e doido pra suceder o xará.

 *Reprodução do Correio da Paraíba

Leia Também