João Pessoa, 22 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A despedida

Comentários:
publicado em 09/07/2011 às 11h28

“Olá Heron, sou professor concursado, Especialista em Educação Escolar pela Universidade Federal de Viçosa Minas Gerais, Mestre em Educação pela UFPB e Professor da Rede Estadual de Ensino. Mês passado o governador me tirou 732,88 do meu salário que é de R$ 1.143,47.

Veja: passei o mês com R$ 410,59. Pergunto, se fosse com seu contracheque você passaria com este salário, mediante o padrão de vida que você tem, ou estava programado para ter?

Saiba que nos meus 45 anos votei em Ricardo para o segundo mandato de vereador, deputado estadual e nas duas candidaturas para prefeito. Imagine como se encontra minha cabeça hoje. Ele prometeu que não teria perseguição, era o fim da atrocidade governamental e jurou ser um novo gestor.

São 27 anos de serviços, professor de Educação Física, no sol e na chuva, pois a minha escola não tem quadra coberta – FAC. O que você me diz sobre isto? Hoje estou lendo sua coluna pela última vez, pois estou deixando de ser assinante, não posso gastar com assinatura de jornais, pois necessito deste pouco, para completar a feira.

Não sou pobre, tenho casa própria, um carro Fiat 2005. Tenho ajuda de minha esposa que também é professora do município. “Portanto, estou enviando este e-mail para você, me despedindo das leituras diárias”.

Remetente –
A carta-desabafo publicada acima chegou à caixa eletrônica deste colunista, assinada por João Joaquim Soares (msjoaquimsoares@gmail.com).

Encaminhando –
Diante do relato, como fiz no rádio, resta-me pedir ao secretário de Educação, Afonso Scocuglia, que faça a reposição do corte dos salários dos grevistas.

Adversário surpreende na imprensa –
O prefeito de Mogeiro, Antônio Ferreira (PRP), eleitor do ex-governador José Maranhão, roubou a cena ontem ao rasgar elogios ao governador Ricardo Coutinho. Antônio sugeriu a Orçamento Democrático e duas pontes de comunidades rurais da cidade, pleito de 20 anos, já estão sendo construídas pelo Governo.

Continuidade de convênios –
“Eu faço questão de reconhecer. É o melhor governador que essa Paraíba já teve. Todos os meus convênios, apesar de ser adversário, foram renovados aqui na cidade. Isso não é adesão. É reconhecimento. Mas quem sabe no futuro”, exclamou Antônio.

Um milhão de mágoas –
O deputado João Henrique (DEM) tenta conter as mágoas da bancada governista por ter sido preterido, mais uma vez, na presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Assembléia. O cargo ficou nas mãos do novato Adriano Galdino (PSB).

Confronto –
João Henrique não se deu por vencido, partiu pra briga e atirou em Galdino. “Ele está ignorando completamente o Regimento Interno da Casa”.

Saiu da suplência –
O democrata avisou logo que vai disputar a presidência e não aceita acordo. “Com a saída de Lindolfo da Comissão, agora eu sou efetivo”.

Sem gula –
“Eu não sou ganancioso e nem ambicioso”. Resposta do deputado Adriano Galdino à resistência do colega de bancada João Henrique.

Axé –
Em Salvador, o líder Hervázio Bezerra (PSDB) tenta se livrar das urucubacas dos ciceristas. Carregar energias positivas para a nova missão.

Meta –
O Governo pretende avançar em 15% na política estadual de saneamento básico. A informação é do secretário do PAC, Ricardo Barbosa.

Omissão –
Apesar da Lei 11.445, que estabelece as diretrizes nacionais, ser de 2007, nenhum município da Paraíba possui ainda plano de saneamento.

É pra disputar –
“O partido não tem outro rumo a não ser candidatura própria em João Pessoa”. Avaliação do deputado federal Ruy Carneiro (PSDB).

Afinação –
O deputado federal Benjamim Maranhão defende união do PMDB, PSDB e PT, em João Pessoa, nem de que seja informalmente.

Desafinação –
Ele atropela o discurso de candidatura independente do PT, levantado pelo deputado Luciano Cartaxo. “Nem 15, nem 45. O povo quer 13”.

Parecer –
A intervenção da construtora Alliance na Casa Cassiano Ribeiro Coutinho, ícone da arquitetura modernista, não tem a chancela do Iphan.

PINGO QUENTE“Ainda não consegui achar o ‘ponto G’ do discurso dele”. Do vereador pessoense Bira Pereira (PSB) entrando na intimidade política do rival Manoel Júnior (PMDB), deputado federal.

*Reprodução do Correio da Paraíba
 

Leia Também