João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A “candidatura” de Vitalzinho

Comentários:
publicado em 13/08/2011 às 07h45

O prodigioso blogueiro Luis Tôrres já havia cantado a bola. Feito pizza, o PMDB da Paraíba está sendo fatiado em diversas correntes. Aliás, quadro que há muito tempo o partido centralizado pela força do ex-governador Maranhão não vivia.

Se não bastasse a divisão entre as candidaturas de Maranhão e Manoel Júnior em João Pessoa, agora a legenda invoca para dentro do seu leito mais uma tese. Por mais improvável que pareça, uma eventual postulação do senador Vitalzinho entrou em cena.

Apesar das recorrentes e contundentes negativas, a candidatura de Vital Filho roubou a pauta peemedebista nessa semana, mesmo que ainda não abrigue o sentimento interno da legenda. No entanto, alguns fatores precisam ser levados em consideração.

Vital conseguiu a proeza de suplantar o bairrismo histórico de João Pessoa com Campina e desbaratou na Capital até a força da aliança de Ricardo com Cássio, sendo mais votado que o ex-governador tucano na eleição passada para o Senado.

Tomou gosto. Girou sua bússola, eminentemente campinense, para os domínios da Capital. Andou pousando para fotos com Luciano Agra, no carnaval, começou a paquerar com temas de João Pessoa e sempre que pode fala com a cidade via outdoors.

Mas há uma distância lunar entre deflagrar uma estratégia de penetração no sentimento pessoense e decidir entrar de fato no processo eleitoral local. Duvido que essa seja a real intenção, mas a simples menção de Vital no páreo já pode ser um recado. A família Vital quer ser sucessora da Era Pós-Maranhão dentro do PMDB.

De todos –
Tavinho Santos (PTB) não se acanhou com a “censura” do vereador Milanez. Para o petebista, Vitalzinho não seria o primeiro “forasteiro” prefeito da Capital.

Homenagem –
Além de suplente de Vital Filho, Tavinho é o autor do título de cidadão pessoense concedido ao senador. A festa da entrega já tem data marcada: dia 26.

Campina e os campinenses –
Não se sabe se por ironia ou por conveniência própria, mas o prefeito Luciano Agra (PSB) não atacou a suposta candidatura de Vitalzinho em João Pessoa. Sereno, o socialista se resumiu a dizer que qualquer cidadão tem o direito de postular o posto de prefeito. Talvez Agra, também campinense, não quis entrar na bola dividida.

Caminho das pedras –
O secretário-geral do PSDB, João Fernandes, disse o que faltava. O apoio do PMDB à candidatura de Cícero Lucena em João Pessoa diminui a concorrência para Maranhão no caminho do Senado em 2014. Para bom entendedor, essa palavra sobra.

Ricardo Marcelo e a poda –
Depois da promulgação da LDO sem os vetos, o presidente da Assembléia, Ricardo Marcelo, deu uma declaração capaz de murchar muitas pétalas do jardim girassol. Avisou que vota em Cícero Lucena para prefeito da capital paraibana.

Regimental – Marcelo ignorou o argumento do governador, que viu ilegalidade na promulgação da LDO. “Segui o Regimento. Não há como ter qualquer revogação”.

Torcida –
Cassistas que não conseguiram espaços ou não os tiveram no tamanho desejado no Governo, sonham com Cícero de volta naquele prédio de Água Fria.

Encasquetou  –
Em que pese os apelos dos bombeiros, o deputado João Henrique (DEM) não arreda o pé. “A decisão é irrevogável e irretratável. Não nos submeteremos”.

Amortecedor –
“Ele não pode se sentir preterido. Era um compromisso do governador com Adriano, antes de saber do interesse de João”, minimizou Lindolfo Pires (DEM).

Cravo na Cruz –
O deputado Luciano Cartaxo (PT) denunciou atraso no pagamento dos servidores do Trauma e manifestou temor pelo destino de 120 prestadores de serviço.

Quites –
A Assessoria de Imprensa do Trauma nega a denúncia. Além do pagamento do mês, a Cruz Vermelha saldou duas produtividades, garante a Assessoria.

Espada na cabeça –
Alvo de um arsenal de denúncias, o presidente da Unimed-JP, Aucélio Gusmão, preside hoje a Assembléia Geral Extra-Ordinária, às 8h, na Blunelle.

Contragosto –
Acusado pelos conselhos de Administração e Fiscal de atos suspeitos, o presidente da Cooperativa protelou e evitou por três meses essa Assembléia.

Tapetão – Nos bastidores, já se sabe a estratégia de Gusmão na Assembléia de hoje. A orientação jurídica é de levar o resultado à Justiça para ganhar tempo.

Bye, bye –
O deputado Doda de Tião está inclinado a aceitar convite do vice-governador Rômulo Gouveia para se filiar ao PSD. Quer se livrar da saia justa no PMDB.

PINGO QUENTE –
“Depois de resolver internamente, se vê aliança com Maranhão, Piauí…”. Do deputado João Gonçalves (PSDDB), desdenhando os rumores de aliança do PSDB com o ex-governador José Maranhão em João Pessoa.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba