João Pessoa, 12 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Reciclagem

Comentários:
publicado em 20/08/2011 às 09h04

Se eu fosse técnico da Secretaria da Administração do Estado e trabalhasse nos trâmites do edital de licitação da contratação das agências de publicidade do Governo já teria me mancado com os senões apontados pelo doutor Nominando Diniz.

No mínimo, solicitaria aos meus superiores um curso de aperfeiçoamento profissional com uma exigência indispensável: os professores e palestrantes teriam que ser os gênios produtores dos editais nos governos Cássio I e II e José Maranhão III.

Nesses governos não se houve notícia de qualquer suspensão, movida por irregularidade ou omissão, como se registra agora no Ricardo I. Certamente, os técnicos e pensadores do passado manjavam tudo da legislação de licitação.

Por isso, nada mais justo o atual Governo “qualificar” esse setor a bem do interesse público e para a felicidade do diligente conselheiro, que não mais encontraria as inéditas falhas no edital da verba da comunicação estadual.

Se eu fosse servidor da Administração reconheceria os equívocos do edital e não jogaria a culpa no novo ímpeto de Nominando pela perfeição. É melhor dá o braço a torcer e admitir que o selo de qualidade das outras gestões não permitia erros formais.

Se eu integrasse a comissão desta badalada licitação trataria de me reciclar ao invés de tentar justificar minha incompetência apontando fatores externos como balizadores da moralizadora caneta do doutor Nominando Diniz.

Trataria logo de me convencer de que é uma insanidade achar que por trás do preciosismo tenha outra preocupação que não seja a legalidade. Muito menos que o lenga lenga tenha uma grama haver com moagem daquele extra-forte empresário.

Curiosidade –
Você sabia que a São Braz Indústria e Comércio de Alimentos S/A, alvo de denúncias de sonegação fiscal, fabricou até certo tempo um café chamado Honesto?

Coincidência –
De uns tempos pra cá, o Honesto, destinado ao público mais popular e de paladar menos apurado, deixou de ser produzido. Uma decisão coerente, agora se vê.

Erros formais e a notificação do TCE –
Em contato com a coluna, o conselheiro Nominando Diniz, do TCE, informou que apenas notificou o Governo sobre as falhas do edital da Secom, mas não determinou a suspensão do processo. De acordo com Nominando, houve erro formal na citação da lei de fundamentação e desencontro na marcada da licitação.

Sem mais atrasos –
Ainda segundo Nominando, a data da abertura dos envelopes permanece a mesma: dia 26 deste mês. Após a notificação, registrou o conselheiro, advogados do Governo já providenciaram as correções recomendadas e a publicação no Diário Oficial de hoje.

O TCE, o Governo e a sorte grande –
“É uma forma do Tribunal de Contas ajudar a administração a se prevenir de futuros questionamentos que poderiam causar mais prejuízos”, justificou. Sendo assim, o Ricardo I deve é festejar a sorte de ter um conselheiro tão zeloso feito Nominando.

Ojeriza –
“Não me fale deste deputado”. Exclamação do ex-deputado Jeová Campos (PT) ao ser perguntado pelo repórter Écliton Monteiro sobre Luiz Couto (PT).

Forcinha –
O deputado Luciano Cartaxo (PT) papou o estímulo do ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, à tese de candidatura própria em João Pessoa.

Pé frio –
Berzoini foi o mesmo que abençoou a vitaminada e pomposa aliança do PT com o PMDB em 2010. Não é alguém que se pode chamar de pé-quente.

Plano de Educação –
Depois de muito tempo, o Governo do Estado anunciou concurso público para professor com mil vagas, segundo informou o secretário Afonso Scocuglia.

Efeitos –
O PMDB aposta no fracasso do Governo Ricardo como o cabo eleitoral da Oposição em 2012. Foi o que deixou escapar o deputado Hugo Motta (PMDB).

Visão –
A Prefeitura de João Pessoa está investindo R$ R$ 1,8 milhão em exames de vista para alunos, disponibilizando lentes, armações e tratamento, se necessário.

Nobel da Paz –
O radialista Fabiano Gomes uniu ontem na mesma mesa do Correio Debate (rádio) os deputados Zé Aldemir e Vituriano de Abreu, fervorosos desafetos.

Faxina –
O prefeito de Cajazeiras, Carlos Rafael (PTB), se livrou da última herança de Léo. Luciana Abreu, irmã do ex-prefeito, pediu demissão da Saúde.

Esverdeando  –
O vereador Felipe Leitão confirmou informação da coluna sobre a troca do PRP pelo PV. Só não gostou da notícia porque atrapalhou a negociação.

Apelo –
Moradores do Bairro de Tambaú pedem à STTrans uma faixa de pedestre na avenida Maria Sales no trecho entre as avenidas Olinda e Targino Marques.

PINGO QUENTE – “O PT não vai mais andar a galope de ninguém”. Do deputado Luciano Cartaxo (PT), ex-vice do governador José Maranhão, fazendo talvez uma espécie de auto-crítica petista sobre recente passado.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também