João Pessoa, 23 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 03:26 - 2.5 | 09:41 - 0.1 | 15:56 - 2.5 | 21:58 - 0.2 Dólar 3,33 - Euro 3,73

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

As CPI’s de cristal

Comentários:
publicado em 31/08/2011 às 07h50
A- A+

E eu até pensei que a Paraíba tinha problemas mais graves a serem minuciosamente investigados e exauridos a fundo. Pelo propagado até aqui, achava que a Oposição guardava pesado trunfo na manga e que quando decidisse abrir a caixa-preta teria documentos com força para desmoralizar a idoneidade vendida por este Governo.

Quem está acostumado a ouvir o discurso de que o mundo desmoronou depois que o novo governador tomou posse esperava uma cacetada da Oposição com força de deixar o Governo aleijado e sem condições de se reerguer nunca mais.

Expectativa frustrada. A primeira CPI que a Oposição quer emplacar é para investigar o que ela mesma cascaviou durante quase três meses. Outra Comissão sugerida terá a missão espetacular de descobrir quem está pagando os outdoors espalhados por João Pessoa expondo a lista de quem votou contra a permuta.

Perdoe-me os diletíssimos parlamentares, mas talvez nem eles próprios levem a sério o que estão propondo. Para provar a ilegalidade da permuta, o meio correto já foi acionado: a Justiça. Para saber quem patrocina os outdoors, uma visita na empresa veiculadora ou até uma queixa na delegacia desvendaria o insondável grande “mistério”.

Gastar tempo, dinheiro do contribuinte, cafezinho e papel com mera revanche no palanque teimosamente ainda armado é abusar da paciência do cidadão. Por essas e outras estou convencido que o senhor Ricardo Vieira Coutinho nasceu com aquilo virado pra lua. O homem leva sorte até com a Oposição que tem. Pena que com a coisa chegando a esse nível o azar é só, e somente só, da Paraíba.

Flash –
Rapidinho, a bancada da Oposição já conseguiu amealhar as doze assinaturas necessárias para instalação das CPI’s e já deve apresentá-las ainda hoje.

Fragilidade –
Os autores dos pedidos terão que se esforçar para convencer Mesa e a Procuradoria da Assembléia que há fato determinante robusto para justificar a instalação.

A meta do Governo até o fim do ano –
Ao colunista, o governador Ricardo revelou que o Governo fará, este ano, investimentos em ações e obras 30% a mais do que o registrado em 2010, ano de plena efervescência eleitoral. “A questão é que existe uma tentativa de se construir a imagem que nada está acontecendo ou o que está sendo feito é pouco. Ilusão”, refutou o socialista.

Trato individual para melhorar relação coletiva –
Para acabar com a imagem de “distância” da base e dissipar rusgas, o governador Ricardo poderia começar a tratar pessoalmente com seus aliados. “Quando a água bate no queixo, é hora de nadar”, recomenda nada burro provérbio português.

A reunião do PPS –
Reunida ontem, a executiva o PPS ratificou apoio ao Governo e adiou o debate sobre punição a Janduy Carneiro, antes de ouvir o deputado, que não participou da reunião, alegando doença. Mas dizem que ele e Bernardino estavam em Brasília. Com saúde.

Vai? –
O governador Ricardo assina hoje convênios do Pacto pelo Social em Pombal, terra de Janduhy. A presença ou ausência do parlamentar será o termômetro.

Quase nada –
O secretário de Educação, Flávio Romero, reclamou dos parcos R$ 165 mil liberados para Campina pelo Governo no Pacto pelo Desenvolvimento Social.

Queixa –
“É uma falta de compromisso com a cidade; é um valor que, por exemplo, não dá para fazer a reforma de uma única creche”, fustigou o secretário.

Culpa da Prefeitura –
O secretário de Articulação, Manoel Ludgério, revidou. “Aprovamos o que Campina pediu para saúde, mas o prefeito queria reformar grupo escolar”.

Sem discriminação –
“A análise foi técnica. A quantidade de prefeitos vinculados ao PMDB contemplados foi grande. Isso é uma meninice de Veneziano”, criticou Ludgério.

Alfinetada em Cássio –
No Tambaú Debate, de Cláudia Carvalho e Josival Pereira, o prefeito Veneziano disse ter investido R$ 72 milhões nas vias da cidade, “sem vender a Celb”.

Marcados –
O voto de dois deputados da Oposição, especificamente, contra a permuta, provocou desgosto à parte no empresário Roberto Santiago, do Manaíra.

Mosca na sopa –
Depois dos “bombados”, o deputado Toinho do Sopão (PTN) elegeu a imprensa como seu alvo preferencial. “Estão querendo ‘tempero’ para luxar”.

Retribuição  –
Projeto do deputado Wilson Filho (PMDB) incentiva a doação de sangue com a isenção de taxas de concursos públicos. “É um estimulo ao voluntarismo”.

Perguntinha –
João Rafael, de Guarabira, suplente de Cícero, trocou o PSDB pelo PMDB. O senador acionará a Justiça para tomar a suplência? Ou deu carta branca?

PINGO QUENTE – “O que a Oposição queria era a Lei do Cão”. Do líder Hervázio Bezerra sobre a Oposição que queria forçar o Governo a desapropriar o terreno de quem queria construir um shopping e ainda botasse a idéia de Roberto Santiago em leilão.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também