João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Rosas e espinhos

Comentários:
publicado em 09/09/2011 às 08h30

Ao primeiro sinal de endurecimento do jogo petista em torno da manutenção da aliança com o PSB, o presidente estadual socialista, Edvaldo Rosas, agiu entre os espinhos, sem medo de machucar a relação com as flores vermelhas petistas.

Sem arrodeios, Rosas enfrentou o discurso, encampado agora até pela ala coutista, de que o PT não tem como dividir o palanque em João Pessoa com PSDB, DEM e PPS ou aceitar que uma destas legendas “non gratas” indique o vice de Agra.

Edvaldo considera “falsa” essa cunha imposta pelo PT com o objetivo de defender uma candidatura própria – tese do grupo rodriguista – ou botar o pé no bucho pela vaga na chapa de reeleição do prefeito do PSB, como quer o bloco de Luiz Couto.

O dirigente socialista cita estatísticas que mostram dezenas de exemplos de alianças do PT com PSDB e DEM nos grotões deste Estado. Por que João Pessoa seria diferente de Pombal e outros 38 municípios da Paraíba, interroga Edvaldo.

Advogando a importância do diálogo com as forças do PT na Paraíba, o presidente do PSB considera que a conjuntura nacional e os entendimentos das cúpulas dos dois partidos terão peso determinante na decisão a ser tomada quando 2012 chegar.

Ácido, Edvaldo revelou ao colunista que tem dedicado horas de reflexão tentando entender a metamorfose dos petistas que hoje veem no deputado Luciano Cartaxo um excelente candidato a prefeito. “Interessante. Foram essas mesmas pessoas que acharam que Luciano não servia mais para ser vice de Maranhão”, espetou.

Virtuais… –
Apesar das divergências partidárias, Edvaldo declarou respeito à candidatura de Maranhão à prefeitura de João Pessoa. “Tem história. É um bom candidato a prefeito”.

Concorrentes –
Já quando Cícero Lucena entra na pauta, o tom muda. “Era bom ele ser candidato porque o povo poderá comparar o governo dele com as mudanças feitas pelo PSB”.

Rômulo e a verdade dos fatos –
Quem afirma que o vice-governador Rômulo Gouveia esteve na terça-feira, 19h30, com o juiz João Batista Barbosa, relator do Caso Maranata, comete uma injustiça com ambos e uma infidelidade com os fatos. Nessa mesma hora, Rômulo foi visto com a esposa, deputada Eva, e os filhos no espetáculo do Circo Tihany, na BR-230, estrada de Cabedelo.

Testemunha ocular –
A coluna recebeu espontâneo testemunho do deputado Genival Matias (PT do B), que ficou em camarote próximo ao do vice-governador durante a apresentação circense. “Eu cheguei antes das 20h no circo e Rômulo já estava lá com a família”.

Por dever do ofício –
Faço o registro por justiça e apesar de não ser do rol dos jornalistas que privam da amizade próxima do vice-governador. Até porque, por não aceitar o carimbo cassista, ricardista, venezianista ou maranhista, devo ser um sujeito anfibológico aos olhos de Rômulo.

Convencido –
“Esta doação não foi assumida nem pela empresa e nem pelo prefeito”. Do corregedor eleitoral, João Batista Barbosa, sobre a análise do Caso Maranata.

Pavio aceso –
“O voto do relator é explosivo. É uma bomba”. Avaliação do vereador campinense João Dantas sobre a posição do relator contra o prefeito Veneziano.

Encontro –
O senador Wilson Santiago e Wilson Filho, do PMDB, prometem botar hoje 46 prefeitos na reunião com técnicos do MEC, na sede da OAB, na Capital.

Pedido –
Convidados pelos dois parlamentares, os gestores vão solicitar a reforma das escolas municipais destruídas pelas chuvas no mês de julho passado.

Errata –
Diferente do que a coluna publicou ontem, o presidente do FNDE é o paraibano José Carlos Freitas e não Daniel Balaban, ex-presidente do Fundo.

Sem cor –
Na assinatura dos R$ 2,4 milhões em Itabaiana, o governador Ricardo disse que no “Pacto Social não há partidarização da Administração Pública”.

Contemplada –
A prefeita Clarisse Ribeiro, tia do deputado Manoel Júnior (PMDB), arrebatou R$ 288 mil do Pacto para Pedras de Fogo e saiu do evento feliz da vida.

Fora da lista –
Já a prefeita Dona Dida nem tentou emplacar recursos e mereceu críticas do deputado João Gonçalves (PSDB). “Será que Itabaiana não precisa de nada?”.

Sem quorum –
Os servidores públicos tiveram ontem a maior inveja dos deputados e vereadores da Capital, que não precisaram retornar ao trabalho, após o Feriado.

Menos ruim –
Deu no Portal MaisPB. Segundo a revista The Economist, o PIB da Paraíba supera o Produto Interno Bruto da Jamaica, terra do regueiro Bob Marley.

PINGO QUENTE – “Até desejo muita saúde, mas passei muito longe da festa dele”. Do ex-prefeito Chico Franca (PDT), negando boatos de que foi presença entre os convidados do aniversário do ex-governador José Maranhão.

*Reprodução do Jornal Correio da  Paraíba

Leia Também