João Pessoa, 20 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O fantasma dos outdoors

Comentários:
publicado em 14/09/2011 às 08h26
A- A+

Na Justiça, os deputados contrários à permuta do terreno do Geisel estão vencendo gradativamente e suas imagens aos poucos vão deixando de ornar os outdoors espalhados pela cidade com a informação de quem se posicionou contra o projeto do Governo, que culminará com a construção de um shopping em Mangabeira.

Exitosos no Judiciário, o mesmo não se pode dizer perante setores da opinião pública. De fato, apesar do esforço de tentar mostrar o interesse republicano, ficou a impressão que a maior parte dos deputados da Oposição fez tudo para dificultar a possibilidade da instalação dos novos equipamentos (segurança e shopping).

É a mesma impressão que ficou aos olhos do professor de química Anderson Moreira Sá (amoreirasa@hotmail.com), leitor da coluna. Adiante, a palavra é dele. “Queria dividir com o senhor minha mais pura indignação com o caso dos Outdoors. Os políticos da Paraíba foram por meio da Justiça nos privar do direito de saber os votos que foram dados por nossos prezados e honrados deputados…”.

Continua: “…Heron a nossa justiça paraibana repetiu justamente o que se fez em Brasília com a ‘honesta deputada’ Jaqueline Roriz, ou seja, privou os eleitores de saber a opinião dos governados e os governantes por sua vez mostraram que são ‘covardes’ pela falta de caráter suficiente em expor suas opiniões”.

Talvez se os protagonistas da idéia da CPI do Outdoor tivessem tido acesso a depoimentos desta estirpe, antes de pedir a sua instalação, não teriam nem pensado em criar artifício para manter viva uma assombração que já podia ter morrido na votação.

Nova CPI –
O deputado Tião Gomes (PSL) botou o dedo no suspiro. Apresentou pedido de CPI para investigar o que se passou no Hospital de Trauma no auge do Maranhão III.

Paradeiro –
Tião quer saber para onde foram R$ 2 mi em medicamentos comprados na gestão passada e não achados neste Governo, além de outros misteriosos R$ 6 mi.

Divergência segue ex-procurador e livra Vené –
Mesmo sem ao menos poder ser defendido pelo autor no julgamento do Caso Maranata, o parecer do ex-procurador regional eleitoral, Werton Magalhães, embasou os três votos divergentes que absolveram ontem o prefeito de Campina, Veneziano Vital, da acusação de uso irregular de verba pública na conta da campanha de 2008.

Guerra fria entre relator e jurista –
Na continuidade do julgamento, cujo resultado foi 3 x 1 pela improcedência da denúncia, ficou nítido o clima de tensão entre o autor do voto vista, Márcio Accioly, e o relator João Batista Barbosa. As farpas foram elegantes, mas bem perceptíveis.

Abstenção e voto decisivo –
“Entendo que o eminente procurador Werton Magalhães, neste caso, está com a inteira razão”. Do juiz Newton Vitta, ao sentenciar o voto que carimbou o resultado da apreciação do Caso Maranata, após o pedido de abstenção da juíza Helena Fialho.

Quebrou o silêncio –
Em nome do campinismo, o ex-governador Cássio procurou manter ‘neutralidade’ e evitou fazer declarações antes da apreciação da Corte Eleitoral.

Desabafo –
Mas depois do julgamento, no twitter, o tucano desabafou: “Das duas uma: O TRE errou no meu caso ou errou no de Veneziano. Ou terá sido em ambos?

Em festa –
Após o julgamento, o senador Vital Filho (PMDB) fechou o gabinete para comemorar com assessores e disparar várias ligações de agradecimento.

Liberação de OS’s
Enquanto o pau quebrava do lado de fora, nos bastidores da Câmara Zezinho do Botafogo (PSB) e Eliza Virgínia (PSDB) quase se engalfinhavam.

Noutros mares –
Será verdade que enquanto o caldo engrossa na Câmara, dois vereadores da bancada governista estão desfrutando dos ares e culinária da Europa.

Picante –
Segundo a coluna captou, o petista Benílton Lucena (PT) se livrou do salgado debate, mas não está dispensando um bom bacalhau em viagem a Portugal.

Agenda particular –
Em plena efervescência dos debates, o líder Bruno Farias (PPS) também está viajando. A Assessoria garante que a viagem não atravessou as fronteiras.

Ideologia –
No Correio Debate (rádio), Antônio Radical (PSTU) auxiliou Tavinho Santos (PTB) no debate contra Bira Pereira (PSB). Coisa impossível, décadas atrás.

Contradições –
Na Paraíba, o PT detona o PSB pela abertura de parcerias com OS’s. No Rio, os petistas apóiam a iniciativa de Sérgio Cabral, com aval do ministro Padilha.

Covardia –
Apesar das imagens mostrarem tudo, o vereador Raimundinho (PP), de Cajazeiras, negou agressão ao radialista Alberto Dias, da Rádio Alto Piranhas.

PINGO QUENTE – “Deus vai tocar no coração dos juízes”. Do fervoroso vice-prefeito de Campina, José Luiz Júnior, durante o julgamento do Caso Maranata, não se sabe se a oração era por profecia, visão ou revelação.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também