João Pessoa, 21 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A Casa das Primas

Comentários:
publicado em 20/09/2011 às 09h19

Com a licença dos leitores, a coluna de hoje é de José Ataimar da Nóbrega Lucena, cidadão campinense, mas ligado nos problemas da Paraíba. Abaixo, é com ele: “Parece que os médicos e funcionários do Trauma têm medo da Cruz Vermelha. Pois, aquele estabelecimento de saúde não funciona mais como a ‘casa das primas’.

Agora tem administrador que exige cumprimento da jornada de trabalho, operacionalização pautada em metas e esse trinômio incomoda, pois na cultura brasileira funcionários de empresa estatal só têm direitos e não deveres. Digo isso por que comecei a vida trabalhando em empresa privada, depois empresa estatal e por fim de economia mista, admitido via concurso público.

Ao contratar a Cruz Vermelha, não considero que Ricardo privatizou ou terceirizou, penso que o nosso governador procurou uma alternativa de gestão diferente e eficiente das anteriores, sem pulso para punir por causa do corporativismo arraigado.

Face ao exposto, parece que o medo não é da Cruz nem da sua cor, e sim por causas das normas rígidas de gestão. Sugestão ao leitor: Faça um levantamento do número de atestados médicos de funcionários e médicos antes e depois da celebração do convênio com a CV. Tenho certeza que você vai ficar espantado.
Aí em Jampa não é diferente aqui de Campina. O curador Herbert Targino apurou que um médico apresentou atestado médico no Trauma e em seguida foi tirar plantão particular. Também esperamos que a CV seja encravada no topo dessa serra”. Pra tirar a limpo, caro Ataimar, estou convencido que uma CPI viria em boa hora.

Consenso –
Pelo visto, a CPI do Trauma tem tudo para emplacar. A Oposição exige que a atual gestão seja investigada e o Governo diz que topa o desafio.

Saldo –
O Colegiado de Líderes decidiu aguardar o parecer da procuradoria da Assembléia sobre a CPI dos Outdoors e votar as matérias pendentes amanhã.

Vídeo da furadeira e a versão da Cruz Vermelha –
A secretaria de Saúde determinou apuração da responsabilidade do vídeo e do uso da furadeira no Trauma e a Procuradoria-geral vai processar os autores da denúncia. Já o representante da Cruz Vermelha, Edmon Silva, questionou a veracidade das imagens, porque não identifica o Hospital. “É mais um factóide”.

Sindicato bota toda fé nas imagens –
“Não tenho dúvidas de que foi no Trauma, pois as roupas usadas pelos médicos possuem o logotipo da unidade e nenhum paciente se submeteria a tal procedimento em outro local que não fosse um hospital”, diz Tarcísio Campos, do Sindicato dos Médicos.

A responsabilidade de cada um –
Se o uso da furadeira em cirurgias ortopédicas é escandaloso, a Cruz Vermelha tem que ser responsabilizada, mas o CRM deve também identificar e punir os médicos que estão colocando em risco a vida dos pacientes. A não ser que o procedimento seja normal…

Preço  –
De um vistoso girassol à coluna. Se o PT quiser candidatura própria deve entregar os cargos na Prefeitura de João Pessoa e no Governo do Estado.

Sinal verde –
Para o presidente do PT de Campina, Alexandre Almeida, a decisão do final de semana libera os diretórios para organização das candidaturas próprias.

Quem manda –
Defensor da aliança com o PSB, o deputado Luiz Couto não esquenta a cabeça com a nova resolução do PT. “Quem vai decidir é o diretório municipal”.

Interferência –
Ao repórter Écliton Monteiro (Correio Sat), Couto rechaçou mais uma vez qualquer ingerência no veto ao deputado Manoel Júnior para o Turismo.

Raposa –
“Eu não sabia nem que esse homem era candidato a cargo nenhum. Ele está com a síndrome da raposa perseguida”, tergiversou o petista.

No dia sem carro –
O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB), cumpre agenda nesta quinta fazendo o trajeto Manaíra/Ponto de Cem Réis e Centro Administrativo.

Mais viável –
O senador Wilson Santiago (PMDB) não titubeou ao ser inquirido ontem sobre a melhor opção para o PMDB em João Pessoa: “É Maranhão”.

Cícero gostou –
O presidente do PMDB, Antônio Souza, reiterou a tese de candidatura, mas admitiu que, “onde não seja possível, o partido pode apoiar legendas aliadas”.

Reatados –
“Não existe mais nada que nos atrapalhe”. Do presidente estadual do PP, Enivaldo Ribeiro, sobre a pacificação com a família Vital do Rego.

É ela, depois ela –
Foi engraçado ouvir Enivaldo dizer que o PP ainda não definiu quem será o candidato em Campina, como se houvesse outra opção além de Daniela.

PINGO QUENTE – “Prefiro não compará-lo a um outro animal”. Do deputado Manoel Júnior (PMDB) evitando polemizar sobre a ironia zoológica do deputado Luiz Couto, porém deixando no ar velada e sarcástica resposta.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também