João Pessoa, 26 de julho de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

A emoção da noiva Vanessa, de Enéas

Comentários:
publicado em 22/09/2011 às 06h06
A- A+

É claro que eu, como qualquer outra pessoa, participe só de algumas cerimônias de casamento. Mas, dá pra imaginar que em todas as cerimônias de casamentos a emoção envolva a todos os noivos… principalmente elas, as noivas!

Permitam-me, entretanto, que foque a emoção que percebi ter tocado a noiva Vanessa de França, na cerimônia de seu casamento no sábado 17 de setembro corrente, cujo templo foi a Igreja Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos, no bairro do Bessa – nesta cidade de João Pessoa. Como disse, foco, aqui, a emoção que constatei ter envolvido a noiva Vanessa de França, mas, certamente é a emoção sentida por todas as noivas!

Cabe, entretanto, que seja melhor identificada a noiva, citando os nomes de seus pais, mesmo que este espaço não seja uma coluna social. Pois, bem! Os pais de Vanessa são Aluízio Antunes de França e Castiliana Ribeiro de França.

E o noivo?!…
– É óbvio que precisa também ser melhor identificado, além do nome de Enéas, destacado no título deste escritos: Enéas é filho de Enéas Flávio Soares de Morais (“in memorian”) e Ângela Cristina Pimenta de Morais. E a mãe de Enéas, tanto quanto os pais de Vanessa, ah como tanto também se emocionaram!…
No entanto, a voz embargada de Vanessa (bem espelhando as lágrimas que escorriam por seu rosto) naquele instante de dizer “eu te recebo, Enéas, como meu marido”… ah, gente, você que não estava lá, como foi fortemente sentimental! Caracterizou tanto sua verdade de amor quanto a compenetração cristã naquele ato sacramental, mais sentida diante das palavras de coroamento, comprometimento e responsabilidade cristã conjugal manifestadas pelo padre Ivônio Cassiano, que presidiu a celebração.

Depois do ato religioso, a Bella Casa foi a casa bela apropriada para os brindes e vivas aos noivos! Festa realmente linda, não só por sua própria organização nem pela beleza da decoração nem ainda pela performance musical da Banda Antares. Foi linda pelo jeito aconchegante com que os noivos e familiares recepcionaram a todos quantos se fizerem presentes.

Todavia, o mais lindo mesmo foi o ato religioso, que, como já disse, realizado na Igreja Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos! E como conclamados por padre Ivônio Cassiano, todos os casais presentes, de forma compenetrada, pareceram… aliás, lembraram os dias de seus respectivos casamentos e renovaram suas alianças conjugais! Casamentos assim não correspondem só ao casamento daquele dia. Correspondem também à renovação e refortalecimento do amor e do compromisso, perante Deus, dos casamentos de todos quantos verdadeiramente crêem e assumem esse compromisso conjugal como base da instituição família, que é base de uma sociedade que se pretenda vivente da paz.
 

diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Leia Também