João Pessoa, 23 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 03:26 - 2.5 | 09:41 - 0.1 | 15:56 - 2.5 | 21:58 - 0.2 Dólar 3,33 - Euro 3,73

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Hora de serenar

Comentários:
publicado em 15/10/2011 às 08h00
A- A+

A Paraíba não gosta de governante frouxo, daqueles que temem, correm dos problemas e vacilam diante de desafios só para aparecer bem na fita ou seguir a receita do bom mocismo. É da nossa cultura aplaudir e reverenciar os “homens de coragem”.

Talvez, ou, também por isso, pelo histórico de luta nas causas sociais e embates renhidos, o governador Ricardo Coutinho botou na cabeça que cresceu no conflito e que a afeição pelo confronto deve ser eleita sua plataforma política e cartão de apresentação.

Não são poucos os auxiliares, conselheiros e até figuras do círculo íntimo do governador que andam ponderando por mais flexibilidade para evitar a proliferação desenfreada de conflitos perfeitamente dispensáveis, a custa apenas de diálogo.

Tudo bem que faz parte da estratégia firme do governador não ceder para alguns apelos nada republicanos e certas reivindicações fora de lógica, propósito e até impossíveis de serem sanadas em curtíssimo espaço de tempo.

Mas também é possível dizer um “não” de uma forma que o interlocutor não se sinta menosprezado, inferiorizado ou ignorado. É possível não atender uma demanda e mesmo assim deixar satisfeito ou pelo menos conformado o pleiteante.

É evidente a improbabilidade de se mudar a personalidade de alguém aos 50 anos. E ninguém pretende essa mutação, mas o governador, no auge de sua experiência e maturidade política de bom gestor, não pode prescindir de arejar mais as relações do seu Governo com certos setores da sociedade e da política. A começar pelos aliados.

Distância
Até auxiliares que trabalham próximo ao gabinete do governador, no Palácio, se queixam da falta de contato formal mais freqüente com Ricardo.

Afinidade
Praticamente toda a cúpula do Sindifisco foi entusiasta da eleição de Ricardo Coutinho ao Governo. Por isso mesmo, alguns atores esperavam menor tensão.

Está nas mãos de Ricardo
A responsabilidade pela unidade da classe política paraibana, tema tão professado na atualidade, é dever de todos agentes políticos, porém não há ninguém na Paraíba mais credenciado a promover essa distensão, em nome dos interesses macros do Estado, que Ricardo Coutinho, forjado em Jaguaribe e eleito pelo sentimento da mudança.

Formação continuada
No Dia do Professor, o governador assina, às 10h, no Palácio da Redenção, convênio com a Universidade Estadual da Paraíba, cujo objetivo principal é possibilitar a formação continuada de cerca de 13 mil professores da rede estadual de ensino.

Incentivo à docência
O secretário Afonso Scoguglia ressaltou que a gestão socialista na Paraíba garantiu o piso nacional do professores, projeta aumento salarial em janeiro do próximo ano, trabalha pela qualificação do magistério e investe na melhoria e reformas das escolas.

Ouvidos abertos
O presidente da APLP, Francisco Fernandes, defende maior proximidade da gestão com a categoria. “É preciso não só falar de, mas com os professores”.

Valorização
Para o professor Wilson Aragão, do Centro de Educação da UFPB, o pagamento de salário digno não pode ser visto como utopia. “É uma necessidade”.

Reposição
As 1.040 vagas do concurso da Educação do Governo serão destinadas às disciplinas com carência de professores. Os aprovados já começam em fevereiro.

Aquecimento
Caciques do PPS se reuniram ontem para mapear a situação do partido em todas as regiões do Estado. A legenda renova seu diretório no final do mês.

Judiciário atento
Todas as ameaças do crime organizado contra juízes paraibanos já estão sendo investigadas, garante o presidente do TJ, Abraham Lincoln.

Cerco
O deputado Luiz Couto (PT) defende forças federais na investigação da atuação dos grupos de extermínio na Paraíba. “Para evitar vazamento”.

Cravo
O senador Humberto Costa (PT-PE), ex-ministro da Saúde, levantou a bola ontem do deputado Luciano Cartaxo (PT) como pré-candidato a prefeito.

Ferradura
Ao tempo em que afagou o ego de Cartaxo, Costa não deixou de relembrar que a decisão de candidatura própria cabe ao diretório municipal petista.

Na lista
O presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, dá como certa a presença do PT no Conselho Político do prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB).

Pegada de ar
“Ele cuida do PSB, do PT nós cuidaremos”. Reação do ex-deputado Rodrigo Soares, presidente estadual do PT, ao ouvir a espetada de Rosas.

PINGO QUENTE “Mangueira foi feita para entrar meu filho”. Do vereador pessoense Mangueira (PMDB) anunciando que não teme um Maranhão (Benjamim) e vai empurrar sua candidatura à presidência do PMDB de João Pessoa.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também