João Pessoa, 20 de agosto de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Fim ou começo?

Comentários:
publicado em 20/10/2011 às 09h44
A- A+

Nem toda a criatividade inventiva e ficcional do dramaturgo Dias Gomes, gênio na arte de produzir telenovelas no Brasil, reservou tantos lances de expectativa e suspense no público quanto o drama real do ex-governador Cássio Cunha Lima.

Finalmente, depois de longa batalha jurídica culminada com a negativa do Supremo aos agravos impetrados por Wilson Santiago, Cássio suplantou a última etapa da via crucis vivida por mais de um ano na peleja pela posse no Senado da República.

A iminente assunção do tucano não muda somente a composição do Senado dando mais um senador à bancada do PSDB. A posse de Cunha Lima implica em mudanças e alterações substanciais no xadrez político paraibano.

O baque maior é para o PMDB da Paraíba. Além de perder um senador, a legenda, que acena para Cássio apostando na má fase do ex-governador, terá que assistir o fortalecimento do principal cabo eleitoral do governador Ricardo Coutinho.

Reflexos também na disputa interna no PSDB. Com mandato, tribuna e provável destaque no Senado, Cássio vitamina ainda mais suas pretensões de comando do ninho tucano paraibano. Terá terreno fértil para plantar seu nome na presidência estadual.

O desfecho da novela tem igualmente repercussão em Campina Grande. O grupo Cunha Lima se encorpa e pode se dar ao luxo de manter a aposta na candidatura de Romero Rodrigues, sem necessidade de sacrificar o trunfo Diogo. Eis o retrato de hoje, mas na Paraíba as novelas sempre reservam novas emoções. E geralmente com capítulos finais surpreendentes.

Má notícia
Na sala com o ministro Fernando Haddad, da Educação, o senador Wilson Santiago (PMDB) tomou conhecimento do desfecho final da guerra no STF.

Boa nova
Já o ex-governador Cássio recebeu a notícia da decisão do ministro Joaquim Barbosa durante almoço, em Aracaju, com o governador Marcelo Deda (PT).

Uma luta vital à Paraíba
Pequeno na estatura e conhecido pelo nome no diminutivo, o senador Vitalzinho (PMDB), relator da distribuição dos royalties do petróleo, incorporou um Davi no meio do confronto com os Golias dos Estados produtores, salivantes por mais recursos. A desenvoltura do paraibano foi decisiva para segurar a gula do eixo poderoso.

Sindifisco rebate argumentos
Em nota, o Sindifisco assegura: “A greve é instrumento legal dos trabalhadores para fazer valer seus direitos e conquistas. Foi o último recurso utilizado pela categoria fiscal, após o esgotamento de todas as tentativas de diálogo ante a intransigência do Governo Ricardo Coutinho”.

Ilegalidade e confiança na Justiça
Ao final, a categoria expressa confiança na Justiça paraibana. “Aplicando o que dispõe a legislação na busca da melhor solução para o conflito gerado pelo desrespeito do Governo”. O Fisco só silenciou sobre a pergunta da Coluna: por que não acionou a Justiça para fazer a Lei ser cumprida?

Via twitter
O governador Ricardo Coutinho saudou o principal parceiro da campanha de 2010 pela consolidação da vitória na Justiça. “Fim de uma espera angustiante”.

Festa no clã
Tio e suplente de Cássio, Ivandro Cunha Lima comemorou a decisão do STF em casa. “A Justiça pode até tardar, mas chega. E chegou com sabor de surpresa”.

Alívio
“Vitória da persistência, vitória do povo da Paraíba, vitória da legalidade”. Do ex-senador Efraim Morais (DEM), companheiro de chapa de Cássio.

Engorda da bancada
O senador Cícero Lucena ressaltou que o veredicto do Supremo fortalece a representação tucana no Senado. “O STF fez justiça com os paraibanos”.

Beco sem saída
Ao Portal MaisPB, o advogado Michel Saliba, da defesa de Santiago, disse que vai esperar a publicação do acórdão para estudar o que ainda resta fazer.

Troféu Vaselina
O deputado João Gonçalves (PSDB) conseguiu se superar. Comemorou a posse de Cássio, mas lamentou a queda do senador Wilson Santiago.

Dobradinha
O deputado Romero Rodrigues voltou a falar da filiação de Diogo. “Não tenho dúvidas da minha candidatura. Diogo chegou para fortalecer nossa vitória”.

Sufocado
Sentindo-se perseguido pelo PMDB, o deputado Doda de Tião resiste, mas já conversa com o vice-governador Rômulo Gouveia, presidente estadual do PSD.

Preparando terreno
“O partido é muito bem estruturado. Tem muitos deputados. É um partido grande”, elogia Doda, ressaltando a estrutura do seu provável novo destino.

Na ativa
O desembargador federal aposentado do TRT, Afranio Melo, voltou ao batente e recebeu ontem o registro de inscrição em solenidade na OAB.

PINGO QUENTE “Campina não votará numa boneca maquiada, símbolo sexual”Do ex-deputado Walter Brito Neto (PRB) pegando pesado em recado subliminar com endereço estético certo, faltando só dizer se o CEP é na Assis Chateaubriand ou em Lagoa Seca…
 

*REprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também