João Pessoa, 22 de outubro de 2011 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Transporte e Trânsito no Congresso

Comentários:
publicado em 22/10/2011 às 00h00

É Rio de janeiro, de onde elaboramos estes escritos, a sede do 18º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito (CBTT). Dele, vindos de João Pessoa, participam técnicos da STTrans (Paulo Silveira e Cristiano Nóbrega) e do DER-PB (Simone Furtado Rabelo e Glória de Fátima Cavalcanti), além, claro, de nosso Carlos Batinga, este sempre requisitado para eventos que foquem essa temática.

Este 18º CBTT começou na quarta-feira e se encerra hoje (sexta-feira). Já em sua abertura os mais de mil participantes fomos brindados com as palavras do competente presidente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), Ailton Brasiliense, renomado técnico que tivemos a oportunidade de apresentá-lo em João Pessoa, em 10 de setembro de 2009 para pronunciar palestra em um café da manhã, no Hotel Tambaú, quando ele, de logo, provocou: “Já está definido qual a cidade que queremos?”.

Neste evento estão sendo discutidos, simultaneamente, vários subtema, o que exige que cada participante escolha a “sala” a freqüentar. De nossa parte escolhemos os subtemas “cenário internacional de transporte público”, “projetos de BRT no Brasil e nas sedes da copa de 2014”, “trocando em miúdo: o que diz o usuário”, “mobilidade para cidades sustentáveis”, “educação de trânsito: conquistas e desafios”, “os atributos do transporte público por ônibus”, “mobilidade urbana na agenda ambiental” e “melhoria na gestão de trânsito”.

Mas, também participamos da Conferência sobre “integração tarifária e inclusão social”, um dos mais importantes momentos deste Congresso. A propósito, foi nesta conferência que o palestrante Willian Alberto Aquino (Coordenador Regional ANTP-RJ) destacou o quanto a integração tarifária tem propiciado a inclusão social. Exemplificou, tomando por referência o caso do Rio de janeiro, a realização de sonhos como o de Dona Maria da Penha Ferreira, que, em razão da economia que passou a ter no aspecto tarifário, pode pagar a prestação de sua “residência própria”.

Entretanto, nos dois exemplos mais destacados aqui, neste congresso, sobre a integração tarifária, ficou bem evidenciado que, no caso da região metropolitana do Rio de janeiro, cuja tarifa máxima está em R$ 4,50, o Governo Estadual subsidia com 32 milhões/mês, enquanto no caso da integração municipal de São Paulo (bilhete único), no orçamento de 2010 estão comprometidos R$ 600 milhões também como subsídio.

Desta conferência sobre “Integração Tarifária e Inclusão Social”, saíram posicionamentos bem importantes: 1) o transporte público tem peso muito significativo no transporte geral de passageiros, pois, o que esse setor, na cidade de São Paulo, transporta em uma semana é o mesmo quantitativo que o transporte aéreo no Brasil transporta em um ano; 2) não são só seus passageiros que se beneficiam com a priorização e conseqüente melhoria do transporte público: também beneficiam-se os empregadores, o comércio, a industria e até os condutores de veículos particulares pela própria diminuição, nas ruas, destes veículos; 3) na priorização do transporte público, cidades como Londres criaram taxas de pedágios urbano para subsidiar esse transporte público; 4) a justiça tributária faz-se exigível em relação ao transporte público, pelo que os Governos, com os recursos orçamentários precisam mais subsidiar esse serviço para deixar seus preços dentro da modicidade tarifária.

Certificado digital mais barato para advogados e contadores Clique e saiba como adquirir

Leia Também