João Pessoa, 23 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

PSB na contramão

Comentários:
publicado em 30/10/2011 às 12h26

Falta alguém dizer a cúpula do PSB que o jardim girassol comete uma séria tolice ao viver alimentando a tese de ter um vice do PSDB. Estratégia válida só se for para confundir ou afagar os tucanos, mas na prática improvável, a não ser que os socialistas obrassem o milagre de demover a candidatura tucana, algo ao sabor de hoje completamente impalatável ao senador Cícero Lucena.

Não há dúvidas de que a manutenção da aliança com o PSDB teria peso considerável em João Pessoa, entretanto, independente da formalidade de uma coligação o PSB já tem o máximo que pode: a maioria do tucanato votando, apoiando ou torcendo pela reeleição do prefeito Luciano Agra. E só isso já faz muita diferença.

A dissidência aberta dentro do PSDB não só causa desconforto e mal estar para o iminente e competitivo candidato do partido. Dessa vez, Cícero não terá a tiracolo, nos bairros e periferia da cidade, históricos aliados como João Gonçalves, Hervázio, Vera e Potengi Lucena e Luiz Flávio, perdas que devem ser traduzidas em votos.

Se quiser trabalhar com um cenário real, frutífero para os girassóis é jogar sementes no terreno mais fértil do PT, cuja simbologia enverniza a chapa, robustece o tempo do guia eleitoral e reforça a aliança com o bloco da presidente Dilma. É mais lógico e pragmático dialogar sobre a vice com os petistas. Se não, daqui a pouco, de tanto ouvir acenos da vaga para os tucanos, até a banda coutista do PT vai se convencer de que é melhor ter candidatura própria do que bater palma para o triunfo do PSDB.

No cravo
O secretário Alexandre Urquiza, um dos jardineiros do coletivo girassol, até reconhece que o prefeito Luciano Agra irá enfrentar “grandes adversários” em 2012.

E na ferradura
“Mas são grandes adversários (José Maranhão e Cícero Lucena) que não têm nada para mostrar. Diferente das gestões do PSB, que transformaram a cidade”, frisa.

Nas mãos de Rômulo
O vice-governador Rômulo Gouveia terá que recorrer ao seu acervo de habilidade e versatilidade política para conciliar o desejo do deputado Doda de Tião, noviço governista, de se abrigar no PSD, e o veto do deputado licenciado Manoel Ludgério, que não aceita a operação por questões paroquiais em Queimadas.

Depende de Ludgério
Em contato com a Coluna, Rômulo deixou claro que essa operação só é possível com o endosso de Ludgério, eleitor de Jacó Maciel para prefeito na cidade. “A idade de Doda tem que passar pelo deputado Manoel Ludgério. Temos dificuldades na área política”, reconhece o ‘gordinho’.

Apetite pela política
Deu na coluna do notável Heraldo Nóbrega (heraldtribuna.com.br). Pedro, filho caçula do senador Cássio, esboça mais tino para a política do que o irmão primogênito, o empresário Diogo. É a Pedro que o ex-governador recorre quando se depara com articulação urgente.

Cobrança
Do governador Ricardo Coutinho. “Nosso governo tem que ter grau de exigência. Eu tenho que me cobrar, pois tenho compromisso com aqueles…”.

Retribuição
“… Que depositaram em nós a expectativa de mudar esse Estado. Se não fosse assim, não teríamos vencido a eleição”, diz Ricardo, em recado à própria equipe.

Segredo
O advogado Michel Saliba, da defesa de Wilson Santiago, se exime de apontar pistas dos caminhos jurídicos que pretende tomar para evitar a posse de Cássio.

Bem guardado
“Ainda que eu já soubesse, não poderia revelar. Ficaria dentro do planejamento estratégico”, desconversa Saliba, expert nos bastidores jurídicos de Brasília.

Linkado
O deputado Domiciano Cabral (DEM) tem abusado, no bom sentido, das redes sociais. Ele usa com freqüência o twitter para colher subsídios ao mandato.

Banco de dados
O senador paraibano Lindberg Farias (PT-RJ) contratou empresa especializada no envio de mensagens telefônicas padronizadas para os eleitores de todo país.

Mãozinha
O recurso está sendo utilizado pelo senador para enquetes e serviu de ferramenta essencial para sua consagradora votação no Prêmio Congresso em Foco.

Contra o PSB
Há quem diga que, as diferenças de projetos de Roberto Freire e Eduardo Campos em Pernambuco, podem respingar no final da crise do PPS na Paraíba.

Céu e inferno
“Estão oferecendo essa vice a Deus e ao diabo”. Do deputado Luciano Cartaxo, sem especificar quem seria, na ótica dele, uma coisa ou outra. Nem precisa.

Pedras que cantam
O que teria levado a prefeita de Pedras de Fogo, Clarisse Ribeiro, a exonerar pessoas da intimidade do deputado Manoel Júnior do primeiro escalão da Prefeitura?

PINGO QUENTE“Vamos chamar viatura para quem quiser zombar da Assembléia”.Do presidente da CPI do Outdoor, André Gadelha (PMDB), sem saber que nem o Exército é suficiente para calar o que muitos paraibanos acham de certos deputados.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba