João Pessoa, 25 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Babel

Comentários:
publicado em 11/11/2011 às 08h27

A crise gerada em torno do secretário de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa, Lucius Fabiani, revelou descompasso na base e as fissuras expostas na relação de aliados socialistas com setores do Governo Agra.

O fato motivador pode até ser excessivamente localizado e nem mereça tamanha importância, mas é ferida que, não tratada, pode infeccionar porque, se não bastassem as espetadas da Oposição, o grupo girassol agora alimenta suas próprias crises.

Pequenas, é bem verdade, mas sinalizadoras de contradições internas. Enquanto os governistas criticam o grau no trato dos conflitos urbanos na cidade, Agra desautoriza os inconformismos reiterando apoio ao secretário atingido pelo fogo amigo.

Ora, as denúncias contra o secretário partiram dos vereadores aliados. Se Agra endossa o que a base na Câmara condena, prefeito e parlamentares alinhados marcham em rota de colisão, quando o tempo inspira unidade.

E o que é pior. A reprovação e as críticas argüidas pelos vereadores contra a política adotada na pasta deixam de ser restritas ao secretário petista e entram na conta da contabilidade do próprio Agra, este solidário ao secretário alvejado.

Falta combinar o discurso. A Prefeitura entoa firmeza na questão do comércio informal, entretanto, os aliados pedem mais flexibilidade, sensibilidade e diálogo. Uma linguagem babélica, embora passível de tradução negativa.

Quem pode
O Sindifisco está pagando caro pela veiculação da nota contra o Governo do Estado nas principais rádios do Interior. Um extra inesperado para os donos de emissoras.

Fogo cruzado
Depois da recente denúncia IstoÉ contra Cícero Lucena, tucanos estariam “encomendando” contraponto na Época em desfavor de Luciano Agra (PSB).

Pauta da coletiva
Na coletiva de hoje, às 10h, na sede do PMDB, o ex-senador Wilson Santiago (PMDB) vai reiterar a pergunta que faz ao TSE, via recurso contra diplomação de Cássio. “Se a Ficha Limpa vigora desde junho deste ano, como alguém enquadrado nela pode exercer um mandato, mesmo inelegível”, questionará o inconformado Santiago.

Interlocutor privilegiado
Mesmo sem mandato, Wilson tem sido convocado para missões especiais nos bastidores. Esta semana, ele esteve com a presidente Dilma, de quem recebeu a incumbência de ajudar o Planalto na articulação da aprovação da Desvinculação das Receitas da União.

Abrigo no Planalto
Em que pese os movimentos do poderoso Renan Calheiros, Santiago despista e diz que não tem trabalhado para garimpar espaços no Governo Dilma. “Só vai haver reforma no Governo lá para janeiro. É possível ajudar a Paraíba com ou sem mandato e cargo público”, desconversou.

Palestrante
O procurador federal paraibano Luciano Mariz Maia, agora em Recife, encerra hoje sua participação no Fórum Mundial Contra a Tortura, em Genebra, na Suíça.

Mote da vez
A Câmara começa a analisar as contas de 2007/2008 do então prefeito Ricardo Coutinho. A Oposição promete fazer barulho, apesar da aprovação no TCE.

Cartão postal
O vereador Pedro Coutinho (PTB) passou a semana toda cuidando dos preparativos para a inauguração hoje da nova sede do Instituto de Previdência do Município.

Cutucando
“Cássio precisa dizer o que acha dos seus 21 Planos de Cargos e Carreiras não serem pagos pelo Governo”. Provocação do vereador Fernando Milanez (PMDB).

Roteiro
Ainda tem gente graúda no Governo operando para escrever um capítulo com final feliz na novela envolvendo o deputado estadual Doda de Tião e o PSD da Paraíba.

Apêndice
“O Senado é um departamento do Palácio. Nossa participação é muito pequena”. Do senador Pedro Simon (PMDB-RS), em entrevista ao Correio Debate (rádio).

Agachamento
Cáustico, Simon não vê chances do PMDB se impor como partido protagonista. “Falta comando partidário de personalidade. Enquanto tiver essa gente na direção…”.

Melhor na privada
A vereadora Sandra Marrocos (PSB) pelo menos justificou ausência na abertura da sessão por estar no banheiro. Tem colega que faz no plenário mesmo.

Pra ver e ouvir
O presidente Ricardo Marcelo (PSDB) promete para fevereiro a fase experimental da TV Assembléia, em canal aberto, e da Rádio Assembléia na faixa FM.

Papo jovem
Agra lança hoje nova versão do seu “Papo com o Prefeito” nas escolas, com perguntas dos alunos. A estréia será no Presidente Médice, Bairro Castelo Branco.

PINGO QUENTE – “Eu dei prazo de dois minutos e não retornaram”Do secretário da Câmara de João Pessoa, Benílton Lucena, revelando o tempo estipulado para abertura da sessão, tido pelos colegas como insuficiente para as necessidades ‘pessoais’.