João Pessoa, 26 de junho de 2017 | --ºC / --ºC 05:56 - 2.6 | 12:09 - 0.1 | 18:28 - 2.4 Dólar 3,31 - Euro 3,70

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Instinto de guru

Comentários:
publicado em 06/12/2011 às 06h55
A- A+

Tido e havido como o pensador das estratégias da oposição, o ex-deputado Gilvan Freire conctata a Coluna e nega convite e aceitação, revelados por gente da intimidade do ex-governador Maranhão, para coordenação de campanha do grupo oposicionista em João Pessoa.

Na epístola, o notável advogado enterra o assunto com a verve e o domínio retórico que lhe é peculiar, trazendo um dado novo. O de que pendurou definitivamente as chuteiras e abandonou o jogo político. Pelo menos, dentro de campo.

“Não sou e nem serei coordenador ou militante de nenhum candidato ou movimento político e partidário daqui em diante. Não subirei em palanque político de ninguém. E não se saberá em quem vou votar nas próximas eleições”, adianta.

Mas ressalva: “Pretendo, contudo, preservar minhas relações de amizade com lideres políticos de nosso estado. Com quase todos me encontro freqüentemente. Mas, ainda sim, fosse para achar boas razões políticas a fim de justificar essas amizades, certamente teria mínimas e nenhum motivo”.

E arremata com seu privilegiado raciocínio: “Mesmo fora da política, continuo masoquista e impossibilitado de recuperar por completo a lucidez. Isso são vícios e deformidades antigos que entraram em minha alma porque a deixei escancarada e desprevenida”. A novidade que se extrai: daqui pra frente, Gilvan se absterá de publicizar seu voto. E precisa?

Confiabilidade
“Considero uma avaliação muito positiva. Os números mostram confiança da população no governador e não mais no candidato”, resume Paulo de Tarso, diretor da Consult.

Prazo de validade
Tarimbado no ramo de pesquisas há mais de 20 anos, Paulo, entretanto, vê nos dados o aumento da responsabilidade do governo em corresponder as expectativas futuras.

Entre erros e acertos
O governador Ricardo Coutinho voltou a comentar os números da Consult/Correio, no mesmo tom de superação da fase mais delicada da gestão. “Ninguém se iluda ou ache que o povo se mira em meia dúzia de pessoas. O povo adota sua lógica. O povo sabe que o governo, entre erros e acertos, tem buscado acertar mais”.

Vitamina para Agra
O extrato da avaliação do governo em João Pessoa animou a militância girassol, que tem a missão de manter o espaço do PSB na Capital. “A população está percebendo que as transformações são irreversíveis. Não adianta lutar contra a marcha do tempo”, avaliou o prefeito Luciano Agra (PSB).

PT não se convence
O deputado Anísio Maia (PT), fervoroso opositor de Ricardo Coutinho na Assembléia, não se deu por vencido e viu nos 51% de aprovação da gestão socialista um resultado sofrível. “A pesquisa mostra que este governo não atrai os paraibanos. Também pudera, é um governo cheio de escândalos”.

Repúdio
Resolução tirada pelo diretório municipal do PT condena projeto do deputado Luciano Cartaxo. O dispositivo quer extinguir a edição de medidas provisórias pelo governo.

Nova tentativa
A Prefeitura de João Pessoa voltou a manifestar disposição de acordo com o Aeroclube do Bessa e de reabrir as negociações. Mais dinheiro e terrenos foram colocados à mesa.

Nem sim, nem não
O presidente da entidade, Rômulo Carvalho, se manifestou: “Nunca estivemos fechados. Nossa preocupação não é com valores, mas com a continuidade dos serviços”.

Prioridade
Geilson Salomão, ex-procurador-geral de João Pessoa, advogada a urgência da criação de grupo e projeto profissional de captação de grandes empresas ao nosso Estado.

Se agarrando
Se no mandato Sérgio da Sac (PSL) vivia em cima do muro, agora cassado o ex-parlamentar briga com unhas e dentes pra ficar bem pertinho do prefeito Luciano Agra.

Lentidão
O coordenador de projetos do Ministério da Integração, José Luiz de Sousa, garantiu ontem que as obras da transposição dos São Francisco nunca paralisaram na Paraíba.

Entraves
Ele botou a culpa da lentidão na burocracia de readaptações de projeto e aditivação em contratos. Em 2011, 3 mil trabalhadores continuaram nos canteiros, segundo Luiz.

Em pauta
O deputado Wilson Filho (PMDB) foi convidado pela Viva Rio e confirmou presença no ciclo de debate sobre drogas, promovido pela ONG, no Rio de Janeiro, amanhã.

Pujança
De acordo a Secretaria Nacional de Comércio Exterior, Campina Grande é a cidade paraibana que mais exporta. Saltou de US$ 59 milhões (2010) para US$ 63 milhões.

Enquadrado
Aliados acreditam que o presidente da Unimed-JP, Aucélio Gusmão, se sairá bem no Conselho de Ética, onde tentará explicar a multa de R$ 47 mi aplicada pela Receita.

PINGO QUENTE
“Tem vereador me ligando pedindo a CPI”. Do líder da oposição na Câmara de João Pessoa, Fernando Milanez (PMDB), insinuando que gente da bancada agrista só pensa numa fatia da pizza dos livros.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também