João Pessoa, 12 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O novo layout de Cartaxo

Comentários:
publicado em 16/02/2012 às 11h39

Nem tão novo assim, o deputado Luciano Cartaxo
pode virar a novidade da eleição deste ano em João Pessoa,
se conseguir carimbar o passaporte no encontro interno do
partido, marcado pro próximo março. O embate interno
funcionará na prática, para Cartaxo, como uma espécie de
primeiro turno.

A expectativa de se tornar o fato novo do processo e
a possibilidade de vitória na guerra intestina do PT são as
esperanças do pré-candidato do PT. Luciano pretende usar
e abusar do modelo e estoque de experiências positivas de
gestões do PT no país afora, a começar pelo sucesso dos
Governos Lula/Dilma, os mais emblemáticos exemplos.

Na entrevista ontem da série do Correio Debate (Correio
Sat) Cartaxo demarcou uma nova postura. Mantém o nível
crítico ao Governo Ricardo, mas foca no campo municipal,
onde passou ao tom mais ameno prometendo uma gestão
“melhor”, que prepare a cidade para o 1º milhão de habitantes. Ou seja: nas entrelinhas reconhece a boa avaliação da
gestão socialista na Capital e não quer brigar com números.
Percebeu a tempo ser mais fácil cacifar-se como alguém dotado de senso crítico para enxergar erros e falhas,
humildade para admitir acertos e capacidade para aperfeiçoar e fazer mais. Linha bem mais atraente que o histerismo de outrora.

Prioridades – Antes de consultar os
segmentos sociais, Cartaxo
centra olhar em três pontos
principais de sua eventual
carta-programa: mobilidade
urbana, saúde e segurança
pública.

Caminhos – “Nesse aspecto o município tem papel fundamental. É preciso iluminar bem
a cidade, criar sistema de
câmeras, além das políticas
públicas sociais”, elencou o
petista.

Torre da ilegalidade começa a desmoronar – Contrariando decisão do TCE, o Tribunal de Justiça
concedeu liminar ontem mantendo a legalidade da
permuta do terreno da Acadepol. Segundo o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, os empresários
do Grupo Futura e Manaíra Shopping já sinalizaram
imediato interesse em retomar as obras do esperado
Mangabeira Shopping.

Base da decisão liminar – O voto do desembargador Márcio Murilo foi didático.
Para o magistrado não há obrigação legal da licitação em
casos de permuta, se houver autorização da Assembléia e
parecer técnico de avaliação de valores, preceitos atendidos
pela polêmica operação.

Diferente da interpretação do TCE… – Murilo, que foi acompanhado por todos os seus pares,
viu no TAC assinado entre Governo e MP uma operação
vantajosa: O Estado trocou os terrenos – a Cinep geralmente doa – e o empresário ficou obrigado a destinar
R$ 11 milhões em obras.

Digestão – Por falar no TCE, o
presidente Fernando Catão,
liderou espaçosa mesa no
Cassino da Lagoa, que
contou com a presença,
entre outros, do conselheiro
Arthur Cunha Lima.

Amor velho – A pré-candidata do
PSB, Estelizabel Bezerra,
apareceu nas Muriçocas
carregada pelo bloco É com
ela que eu vou. “Frequento
as Muriçocas desde a adolescência”, disse.

Sonho de um carnaval – Já simpatizantes e
militantes do PPS ergueram
a Bandeira de Nonato. No
calor da folia, houve quem
sonhasse de olhos abertos
com um mago surgindo
como o porta-estandarte.

Fora da água fria – Perto dos 80 anos, o
ex-governador José Maranhão (PMDB), em plena forma, caiu na folia dos votos,
embora preferisse mesmo o
sossego e a paz do casarão
do Altiplano.

Ecletismo – Prestigiado o camarote vip capitaneado pelo
presidente da Assembléia,
Ricardo Marcelo. Reuniu
parlamentares de diversas
matizes. E ninguém precisou ir mascarado.

Picada – O senador Cícero Lucena cancelou agenda parlamentar em Brasília para não perder a oportunidadedo corpo-a-corpo e de fazer o zun-zun-zun no ouvidodo eleitor indeciso.

Radar – O TRE está atento às
pródigas propagandas subliminares. “Qualquer propaganda antes da convenção é passível de punição”,
alertou o diretor Leonardo
Lívio Ângelo Paulino.

Flexibilidade – Ainda bem que as
regras do Traíras Fora, do
deputado Anísio Maia (PT),
não eram tão rígidas assim.
Ao pé da letra, poucos políticos paraibanos ousariam
botar os pés por lá.

Daqui não saio… – O deputado Leonardo
Gadelha refutou boatos de
flerte do seu PSC com o
bloco governista no carnaval 2012. “O PSC saiu 2010
como oposição e assim
continua”.

Estreia – Chegou ao mercado editorial paraibano a
Editora Ética. A empresa
vai começar sua atuação na
Paraíba doando coleção de
seu selo a alunos de dois
municípios do Interior.

Pingo Quente

Eu achava aquilo o máximo

(Do prefeito Luciano Agra lembrando dos tempos em que Máscara Negra, de Zé
Ketin, era apenas uma marchinha e não um título tão em voga na vida política
)

Leia Também