João Pessoa, 20 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

E se der errado…

Comentários:
publicado em 26/02/2012 às 11h47

Há no maranhismo a visão de que está na eleição para prefeito de João Pessoa a chance inadiável – talvez a última – do ex-governador José Maranhão salvar seu cacife na política e no PMDB, sob pena de ficar completamente alijado dos próximos embates estaduais vindouros e sem qualquer ficha pra jogar na disputa de 2014.

Em parte, os pensadores dessa tese têm lá suas razões e lógicas minimamente aceitáveis. De fato, fora do mandato, naturalmente desgastado por mais uma derrota política nas urnas e com o avanço incontrolável da idade – fator a ser considerado nos tempos de hoje – o cacique se verá rendido à vanguarda peemedebista.

O que os insufladores do ego e da candidatura maranhista não calculam ou fingem não existir é a considerável margem de possibilidade de uma nova derrota, cenário que se transformaria, inevitavelmente, no enterro definitivo de Maranhão, posto que este perderia de vez o escopo de líder e viraria uma sombra rejeitada em 2014.

Sob novo revés, Maranhão será impelido a passar o recibo aos liderados para deflagração da transferência do comando partidário, controlado a mão de ferro por quase duas décadas. Com uma diferença, derrotado novamente, terá dificuldade até de ser presidente de honra do PMDB. Ele prefere arriscar. O tempo corre ao seu desfavor.

Pedra angular
Ninguém tem mais convicção da necessidade e viabilidade da candidatura de Maranhão que a desembargadora Fátima Bezerra. E que ninguém ouse convencê-la do contrário.

Atenta a tudo
Quem defende a postulação do ex-governador na imprensa e no PMDB tem subido em conceito junto a ex-primeira-dama. Não precisa dizer o que ela pensa dos dissidentes.

Mágoa marcada em pedra e fogo
A pedra da mágoa do deputado Manoel Júnior (PMDB) não é toda água que amolece. Da mesma forma que o seu coração não mais arde em fogo pela causa maranhista. Júnior calcula que, apoiado por Maranhão, partiria, no mínimo com 10 pontos nas pesquisas, e teria campo de crescimento. Um trauma mais negro que seus cabelos.

Restos pendurados
Maranhão encontrará relativa resistência na hora de contratar sua agência de campanha. É que ficou na ágora histórias de restos a pagar da eleição de 2010, ainda não saldados. O raciocínio de alguns empresários é pragmático: se no tempo da bonança foi assim…

Pressão das bases
Segundo a Coluna apurou, a marcha-ré do deputado Gervásio Filho tem razão de ser. Prefeitos do PMDB, eleitores de Gervasinho, mas obedientes e ligados a Maranhão, pressionaram o parlamentar a rever a postura de enfrentamento. Pesou muito!

Itinerário
Com agenda marcada pra Santa Luzia (Sertão), o ministro Garibaldi Alves desembarca segunda em Patos, de onde segue viagem de carro até a cidade-pólo do Vale do Sabugi.

Cicerone
Designado pelo governador Ricardo Coutinho, que tem outro evento na Capital, o vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) recepcionará o ministro da Previdência Social.

Extra
Após o compromisso de inauguração da agência do INSS em Santa Luzia, Garibaldi Alves, cacique do PMDB potiguar, almoça com o vice-governador num hotel da cidade.

Alvo
O deputado Trócolli Júnior (PSD) se reuniu ontem, na Pousada do Caju, com lideranças de Cabedelo dotadas de uma característica comum: desejo de vencer Luceninha (PMDB).

Devoção
Só quem acompanha de perto sabe a dimensão da dedicação e o integral envolvimento do senador Cássio Cunha Lima nessa fase de enfermidade do pai, Ronaldo Cunha Lima.

Sena acumulada
Por falar em Cássio, o tucano externou para confidentes profunda mágoa com determinado sistema de comunicação que mereceu distinção especial nos seus governos.

Greve
Sem recebimento do piso nacional, professores da rede municipal de Cajazeiras decidiram em assembléia suspender o inicio do ano letivo, agendado para amanhã.

Contradição
O magistério da “terra que ensinou a Paraíba a ler” não entende porque o prefeito Carlos Rafael (PTB) resiste a pagar o básico, enquanto arrota dinheiro em festas e carnaval.

Dando água
Em Sousa, sobram reclamações a secretários do prefeito Fábio Tyrone (PTB). Apesar da gestão do petebista ser bem avaliada, a população anda pela goela com certos auxiliares.

Prioridade
O Governo aposta todas as fichas na eleição do ex-deputado Zenóbio Toscano (PSDB) em Guarabira contra os Paulino. Zenóbio ainda faz mistérios sobre a escolha do grupo.

PINGO QUENTE“Eu não sabia nem a data da veiculação”. Do presidente estadual do PMDB, Antônio Souza, justificando a ausência de nomes do partido na Paraíba no guia (TV) nacional da legenda.

*Reprodução do Jornal Correio da Paraíba

Leia Também