João Pessoa, 10 de novembro de 2014 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
SANTARÉM

Homem matou cunhado com tiro de espingarda por causa de R$ 9, em Belterra

Comentários:
publicado em 10/11/2014 às 17h38

Fidelis Cardoso Monteiro, de 25 anos, preso por matar o cunhado com um tiro de espingarda na noite de domingo (9), cometeu o crime por causa de uma dívida de R$ 9, segundo informou a Polícia Militar de Belterra, Região Metropolitana de Santarém.

O suspeito foi preso em flagrante horas depois na comunidade rural São Domingos, que fica a 30 km de Belterra. Segundo a PM, ele foi detido por moradores.

“Conseguiram mantê-lo lá até a chegada. Informaram aqui para a gente: ‘tem um rapaz aqui que chegou comentando que teria atirado numa pessoa e estamos segurando ele até a chegada da Polícia Militar’. Ele tem uma moto que pegou e o pneu furou e a abandonou na estrada, seguiu andando”, informou o soldado Richardson dos Santos, da Polícia Militar.

A vítima, Ronildo Castro Rodrigues, de 35 anos, morava na Rua 4 de maio, no bairro São Cristovão. Segundo a família, ele foi à casa de Fideles por volta das 19h cobrar a dívida, quando houve uma discussão entre os dois e o suspeito atirou na vítima. Apenas um tiro acertou a perna de Ronildo, que morreu na hora.

“O menino não tinha para pagar, e ele disse que trazia o DVD, segundo o que contaram. Ele entrou, pegou o DVD e disse que era para sair que ia dar um tiro. Ainda lutaram depois que ele atirou”, contou outro cunhado da vítima, Abnor Pereira.

Fideles confessou o crime e alegou que atirou para se defender. “Ele foi atrás de um DVD lá. Eu não quis entregar a ele porque não era meu, era da minha mulher. Ele entrou lá para me agredir”, relatou.

O autor do crime está preso na Delegacia de Polícia Civil. “Aparentemente, os dois estavam embriagados. Depois de cometer o homicídio, ele evadiu-se do local, foram feitas diligências. Agora, ele está recolhido, foi feito o flagrante. Foi apreendida a arma do crime, que se trata de uma espingarda, que vamos enviá-la para perícia. Vamos encaminhar o acusado ao presídio em Santarém, onde irá aguardar a Justiça se manifestar”, informou o delegado Lucivelton Martins.

G1

Leia Também