João Pessoa, 22 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Venceu a persistência

Comentários:
publicado em 20/03/2012 às 12h55

É preciso tirar o chapéu para o deputado Luciano
Cartaxo. Durante o processo que antecedeu o encontro
interno do PT, o pré-candidato não desanimou e nem
entregou os pontos, mesmo consciente do poder de fogo
do grupo do deputado Luiz Couto, até então dono de preferência majoritária da militância petista em João Pessoa.

Enquanto Cartaxo se vestiu da persistência, qualidade dos obstinados, a ala coutista calçou o sapato alto e
comemorou por antecipação. Anunciar a vitória no dia da
finalização do cadastramento dos filiados soou como um
desprezo à capacidade de reflexão e menosprezo ao papel
decisivo da decisão individual do militante.

Os defensores da tese da aliança trataram a militância como gado ferrado. Tanto que, equivocada e
presunçosamente, chegaram ao disparate de fazer contas
da diferença a ser ‘confirmada’ no dia do encontro. Uma
postura de fazer inveja a qualquer político coronelista,
que cabala votos como se fosse dono da vontade e consciência alheias.

Cartaxo aproveitou o “oba-oba”, se vitimizou, apostou na modéstia e no sedutor discurso da candidatura
própria, coisa que mexe com os brios e o ego do verdadeiro partidário. Soube capitalizar em cima do excesso
de confiança e esnobismo dos adversários internos. Saiu
vitorioso e maior para o confronto externo.

Linha – “Ganhou o PT. Ganhou João Pessoa”, avaliou
Luciano Cartaxo, abolindo
o discurso do revanchismo e adotando postura de
quem esgotará o diálogo
interno com os contrários.

Pra anotar – Daqui pra frente, Cartaxo se esfoçará, interna e publicamente, para construção da adesão da ala deCouto. Se não conseguir, pelo menos mostrará ao PTque fez sua parte.

Dando a mão a palmatória – Realista, dura e consciente a auto-crítica do presidente municipal do PT, Antônio Barbosa, à Coluna.
“Embora nossa tese seja a mais adequada, nós não fomos
capazes de construir uma comunicação que fosse entendida e captada pelo conjunto de filiados, como a mais
adequada, incorporada e assimilada pela militância”.

Torre de Babel – Sereno, Barbosa elencou outro entrave no caminho
da tese de aliança: “A ausência de um projeto político
mais duradouro. Nós não temos tido unidade suficiente
para um projeto de longa duração. A cada eleição a gente
oscila nessa disputa interna”.

A esperança é a última que morre – Convicto da vantagem de Cartaxo, Barbosa ainda
se apega nas últimas esperanças. “Luciano está na frente,
mas não está descartado o surgimento de outras candidaturas. Isso está sendo objeto de avaliação. É muito difícil a
reversão, mas não impossível”.

Pela dissidência – O governador Ricardo fez um apelo aos defensores da tese da aliança
PT/PSB. “Nós gostaríamos
de contar com os companheiros que não querem
deixar o atraso ganhar”.

Tocando em frente – Estelizabel Bezerra,
principal beneficiária da
frustrada aliança, não se
abateu. “Respeitamos o
processo, mas continuaremos construindo a candidatura do PSB”.

Tudo como dantes... – O jornalista Nonato
Bandeira (PPS) se disse
indiferente diante do saldo
petista. “Independente da
decisão de outros partidos,
nossa postulação corre em
faixa própria”.

Jogo de palavras – O vice-governador
Rômulo Gouveia, presidente estadual do PSD,
minimizou a baixa do
grupo governista na Capital. “Quem ganha eleição
é o povo. Não é partido
político”.

Distensão – “Desdenharam da
militância e da nossa capacidade, mas não houve
vencidos e vencedores.
O papel de Luiz Couto é
importante”, afagou o deputado Anísio Maia (PT).

Feirante – No aniversário dos 63

anos do Mercado Central
de João Pessoa, o deputado
João Gonçalves recordou
dos tempos que vendia
galinha na feira na barraca
do irmão.

Virada – O DEM da Capital
atingiu a metamorfose
de num final de semana
deixar de ser patinho feio
e virar cobiçada galinha
dos ovos de ouro. Coisas
do dinamismo da nossa
política.

Torpedo – Aliás, o deputado
Efraim Filho (DEM) não
escondeu certo entusiasmo
com o novo cenário e tascou essa à Coluna. “Podemos até nos inspirar nessa
decisão do PT”.

Reocupação – Durante solenidade
ontem com investidores
de mais de R$ 1 bilhão na
Paraíba, Ricardo alertou: a
Cinep transferirá terrenos
obsoletos a empresários
que querem produzir.

Lançamento – O advogado Jaldemiro Rodrigues lança
nesta quinta, às 17h, no
Salão Nobre do TJ, o livro
“Precedentes Vinculantes e
Irretroatividade do Direito
no Sistema Processual”.

PINGO QUENTE

O ambiente da política tem
um lado meio selvagem

(Do prefeito Luciano Agra (PSB) ainda sobre os motivos de
sua “desistência” de concorrer à reeleição em João Pessoa)

Leia Também