João Pessoa, 24 de maio de 2017 | --ºC / --ºC 02:56 - 2.5 | 09:04 - 0.2 | 15:17 - 2.5 | 21:21 - 0.1 Dólar 3,28 - Euro 3,67

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Registro histórico

Comentários:
publicado em 29/03/2012 às 11h48
A- A+

A historiadora Lourdinha Luna se sentiu compelida a se manifestar sobre o tema tratado ontem pela Coluna. “O que passa o jovem ministro Aguinaldo Ribeiro, outros nordestinos viveram drama semelhante. Para não me alongar no relato, em relação à candidatura de José Américo de Almeida à Presidência da República, em 1937.

Dispenso-me de falar no constrangimento de São Paulo, habituado à hegemonia ‘café com leite’ para nos governar. Ter de conviver com a aceitação de 18 Estados, entre os 21 da Confederação brasileira, ao nome do nordestino, de Areia, como candidato à Presidência da República, foi dose letal para os dois Estados. O sul ser postergado no seu interesse em favor de um ‘cabeça chata’ era insolência inadmissível…

No caso de José Américo foi contratado o dono (falido) do jornal O DIA, do Rio de Janeiro, para criar um motivo ‘fatal’ que pudesse desvanecer seus aliados, e a pretensão fracassar. Esse homem de imprensa visitou o Nordeste e aonde chegava, depois de ouvir os adversários, a informação parecia combinada: ‘É inútil tentar achar algo que comprometa a lisura dos atos deste homem, na vida pública ou particular’.

Para fazer jus ao soldo recebido, para a ação nefasta, valeu-se o contratado do acidente da Bahia (1932) para dizer que ele (Zé Américo) era ‘azarento’. Cair no mar, numa noite escura, quase cego, sem saber nadar e salvar-se é a prova maior de sorte”.

Mágoa – Já foi bem melhor o clima da família Ribeiro em relação ao clã Vital. Os últimos episódios envolvendo Aguinaldinho Ribeiro minaram as recém reatadas relações.

Transferência – Basta ouvir o texto da defesa feita pela deputada Daniella Ribeiro para se chegar a fácil conclusão de que ela vê interesse de figuras campinenses nas denúncias contra o irmão.

Um destempero desnecessário – O prefeito Veneziano Vital tentou manter elegância, mas derrapou feio ao agredir verbalmente o companheiro e radialista Fabiano Gomes, do Correio Debate (Rádio). Para apresentar versão sobre especulação feita pelo colega, o gestor não precisava desqualificar nem partidarizar o que deveria ser tratado no campo do contraditório.

Caminho mais apropriado – Se nada tem haver e nem ofereceu estrutura da Prefeitura de Campina para elaboração do flagrante feito pela produção do Fanstástico contra representante da Idéia Digital, bastaria a Veneziano negar o fato e desafiar o autor a mostrar provas da ilação.

Arroubo destoa do perfil – Não. Veneziano optou por debulhar-se em mágoas acumuladas contra Fabiano, que trata com sua acidez peculiar os fatos envolvendo o prefeito. Vené não é obrigado a calar diante do que julga injúria, mas o tamanho do posto que ocupa exige-lhe outra postura.

Mais uma – Vem aí mais uma CPI na Assembléia Legislativa da Paraíba. Se terminar como a dos Outdoors, o digno leitor, antecipadamente, já deve estar imaginando a real serventia.

Gesto – O deputado Romero Rodrigues (PSDB) convidou nomes de peso do Grupo Cunha Lima para coordenação de sua campanha à Prefeitura de Campina Grande. Aguarda respostas.

Representado – Governador em exercício, Rômulo Gouveia (PSD) voltou a descartar ontem sua terceira candidatura em Campina. “Me sinto contemplado com a candidatura de Romero”.

Autonomia – Rômulo Gouveia refutou o batido discurso de desrespeito à autonomia da UEPB. “Nosso compromisso financeiro tem sido honrado. A autonomia é inabalável”.

Plus – Ao lado das 584 unidades do Conjunto Anayde Beiriz (Bairro das Indústrias), que será entregue hoje, às 9h, a Prefeitura construiu uma escola municipal com dez salas de aula.

Efeitos – Como a Coluna previa, a oportunidade do governador Ricardo Coutinho ficar tete-a-tete com a presidente Dilma na viagem à Índia já apresenta os primeiros saldos positivos.

Agora vai – Ricardo teve a chance de apresentar novos pleitos da Paraíba e deixou pré-marcada a primeira visita da presidente ao Estado, com direito a inaugurações e ordens de serviços.

Apuração – A Controladoria Geral do Município recebeu a missão do prefeito Luciano Agra (PSB) de averiguar detalhes do contrato celebrado pela Prefeitura e a empresa Idéia Digital.

A pergunta é: – Qual será o ritmo das batidas coronárias do deputado Manoel Júnior diante da iminente ameaça, via TRE, de defenestração da pré-candidatura do ex-governador Maranhão?

Mãozinha – Preocupado com o desfecho do julgamento que pode fazer água no seu projeto de entrar na disputa, Maranhão buscou recentemente em Brasília ‘ajuda’ para se livrar do pior.

PINGO QUENTE

Antes dar do que roubar

(Do pré-candidato a prefeito de João Pessoa pelo PSOL, Renan Palmeira (Movimento do Espírito Lilás), que não faz questão de assumir sua homossexualidade)
 

Leia Também